NOTÍCIAS
27/04/2019 15:46 -03 | Atualizado 27/04/2019 16:12 -03

As imagens da luta dos indígenas no Acampamento Terra Livre, em Brasília

Cerca de 4 mil índios de mais de 300 tribos do Brasil marcharam pela saúde indígena e pela garantia da demarcação de terras em Brasília (DF).

Reuters
Milhares de pessoas que representaram mais de 300 tribos de todo Brasil marcharam na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

“Sangue indígena, nenhuma gota a mais”. Este é o tema do Acampamento Terra Livre, maior conferência do Brasil sobre povos indígenas tradicionais que começou na terça-feira (23), em Brasília (DF) e terminou com uma marcha rumo ao Eixo Monumental nesta sexta-feira (26), que contou com de 4 mil pessoas.

Com cocares de penas coloridas de pássaros amazônicos e pinturas corporais, eles levavam arcos e flechas, tocavam tambores e cantavam músicas de resistência enquanto marchavam em protesto ao governo de Jair Bolsonaro.

“Nossas famílias estão em perigo, nossas crianças estão ameaçadas, nossos povos estão sendo atacados. Em nome do que chama progresso econômico ele quer matar nosso povo”, disse David Karai Popygua, do grupo étnico Guarani Mbya, oriundo do Estado São Paulo, à Reuters. 

O grupo, que é contrário à proposta de municipalização dos serviços de saúde indígena, protestou também medidas recentes do atual governo, como mudanças na Funai (Fundação Nacional do Índio), antes vinculada ao Ministério da Justiça, e agora ao Ministério da Agricultura, pedindo demarcação de terras.

“É vergonhoso para o nosso país ter um governo que não entende a luta dos povos indígenas e não tem nenhum conhecimento sobre a população indígena”, disse Daran, um cacique Tupi Guarani também à Reuters.

A demarcação das terras indígenas é um direito garantido pela Constituição Federal de 1988. Segundo dados oficiais, o Brasil tem 436 terras indígenas demarcadas, que correspondem a cerca de 14% do território nacional. Mais de 850 mil índios vivem no País, o que corresponde a menos de 1% da população.

Abaixo, veja imagens da marcha e do Acampamento Terra Livre:

Nacho Doce / Reuters
Mulheres indígenas ao lado de cabanas no Acampamento Terra Livre.
Adriano Machado / Reuters
Raoni Metuktire, líder do grupo indígena brasileiro Kayapó em reunião no Congresso Nacional.
Adriano Machado / Reuters
Mulher indígena no Acampamento Terra Livre.
Nacho Doce / Reuters
Mulheres fazem fila para beber água durante o Acampamento Terra Livre.
Adriano Machado / Reuters
Os indígenas brasileiros no acampamento Terra Livre, durante uma manifestação em defesa dos povos indígenas locais, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.
Nacho Doce / Reuters
Os indígenas brasileiros no acampamento Terra Livre, durante uma manifestação em defesa dos povos indígenas locais, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.
Nacho Doce / Reuters
Homem prepara peixes no acampamento Terra Livre. Na faixa, lê-se "519 anos de resistência dos Povos Baixos Tapajós."
Nacho Doce / Reuters
Os indígenas brasileiros no acampamento Terra Livre, durante uma manifestação em defesa dos povos indígenas locais, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.
Adriano Machado / Reuters
Os indígenas brasileiros no acampamento Terra Livre, durante uma manifestação em defesa dos povos indígenas locais, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.
Adriano Machado / Reuters
A líder indígena Sônia Guajajara ao lado de Joênia Wapichana, 1ª deputada indígena no Brasil, eleita em 2018.

(Com informações da Agência Reuters).