ENTRETENIMENTO
29/03/2019 17:54 -03 | Atualizado 29/03/2019 18:41 -03

'Abaporu', de Tarsila do Amaral, estará em exposição inédita do Masp dedicada à pintora

Obra mais famosa da pintora paulista retorna ao País emprestada pelo Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires.

AFP
Criado em 1928, 'Abaporu' foi dado de presente de aniversário para Oswald de Andrade (1890-1954), marido de Tarsila na época.

Apaporu, a obra mais famosa de Tarsila do Amaral (1886-1973), fará parte da aguardada megaexposição Tarsila Popular, que o Masp (Museu de Arte de São Paulo) abre para o público na próxima sexta-feira (5).

A notícia foi dada em primeira mão pela revista Veja São Paulo

Com curadoria de Adriano Pedrosa e Fernando Oliva, a mostra reúne 120 obras - entre pinturas e desenhos - da artista paulista que é figura central na história do movimento modernista brasileiro.

O grandalhão pintado a óleo volta à capital paulista depois de 11 anos, emprestado pelo Malba (Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires). A tela pertence atualmente ao argentino Eduardo Costantini, fundador da instituição, que a adquiriu em um leilão por cerca de R$ 9 milhões.

Desde 1995, o quadro foi emprestada três vezes para o Brasil. Em 1998, ele esteve em mostra no MAM (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro); em 2008 foi destaque em uma exposição na Pinacoteca de São Paulo; e em 2016, durante os Jogos Olímpicos, foi exposto no MAR (Museu de Arte do Rio).

Presente de aniversário do então marido de Tarsila, o escritor Oswald de Andrade (1890-1954), a obra foi batizada em 1928 pelo casal em companhia do diplomata brasileiro Raul Bopp (1898-1984) com o nome de origem indígena que combina as palavras “aba” e “poru”, cujo significado final é “homem que come carne humana”.

O Apaporu inspirou o Manifesto Antropófago, marco modernista capitaneado por Oswald, que propunha a apropriação e “ingestão” da cultura europeia pelos artistas brasileiros para a criação de uma produção cultural original, essencialmente brasileira. Da chamada fase Antropofágica, a mostra também apresentará outros dois trabalhos famosos: Urutu (1928) e Antropofagia (1929).

Segundo os curadores, Tarsila Popular articula quase cinco décadas da produção de Tarsila com questões políticas, sociais e raciais da cultura brasileira e do modernismo - oferecendo ao público uma nova visão sobre a trajetória, obra e legado da artista. 

A abertura da exposição será simultânea à Lina Bo Bardi: Habitat, mostra sobre a arquiteta ítalo-brasileira que projetou, entre outros, o edifício que abriga o
Masp. Ambas integram o ciclo Histórias das Mulheres, Histórias Feministas, eixo temático que guiará a programação do museu em 2019.

SERVIÇO: 

Exposição Tarsila Popular

De 5 de abril a 23 de junho de 2019
Endereço: avenida Paulista, 1578, São Paulo - SP
Horários: quarta a domingo: das 10h às 18h (bilheteria aberta até as 17h30); terça-feira: das 10h às 20h (bilheteria até 19h30)
Ingressos: R$ 40 (entrada); R$ 20 (meia-entrada)

Galeria de Fotos 10 filmes sobre grandes mentiras Copy Veja Fotos