ENTRETENIMENTO
24/05/2019 17:07 -03 | Atualizado 24/05/2019 17:50 -03

'A Vida invisível de Eurídice Gusmão' ganha mostra Um Certo Olhar em Cannes

Longa do diretor cearense Karim Aïnouz é o primeiro brasileiro a conquistar o prêmio da mostra paralela à oficial de Cannes.

Divulgação/@sinny assessoria
Carol Duarte e Julia Stockler em clique feito após anúncio da vitória do filme brasileiro em Cannes. 

A Vida Invisível de Eurídice Gusmão, do diretor cearense Karim Aïnouz, foi o vencedor da mostra Um Certo Olhar - que celebra obras com linguagem experimental - do Festival de Cannes 2019.

O anúncio foi feito nesta sexta-feira (24) pela diretora libanesa Nadine Labaki, que preside o júri da 72ª edição do evento. Este é o primeiro filme brasileiro a levar o prêmio da mostra paralela do evento.

Definido pelo cineasta como um “melodrama tropical”, o longa é uma adaptação livre do romance homônimo de Martha Batalha e traz nos papéis principais duas jovens estreantes no cinema: Carol Duarte e Julia Stockler.

O elenco traz ainda Fernanda Montenegro, como atriz convidada, Gregório Duvivier, Bárbara Santos e Maria Manoella. 

A trama se passa no Rio de Janeiro dos anos 1950 e retrata a jornada marcada pelo machismo de duas irmãs que nutrem relação de enorme cumplicidade.

Eurídice, a mais nova, é uma pianista prodígio, enquanto Guida, romântica e cheia de vida, sonha em se casar e ter uma família. Aos 18 anos, Guida foge de casa com o namorado; ao retornar grávida seis meses depois, é expulsa pelo pai. As irmãs passam o restante de suas vidas tentando se reencontrar.

″É um grande prazer representar o Brasil”, afirmou o diretor ao receber o prêmio. “Nós estamos passando por algo no Brasil agora que é muito muito difícil, e que tem algo a ver com intolerância”, completou. 

Em vídeo enviado ao HuffPost Brasil, o diretor falou sobre a importância da vitória de seu novo trabalho no festival. “Enquanto estamos passando por uma situação em que a cultura, a diversidade e a educação estão ameaçadas, é muito importante que a gente se lembre que somos maiores que qualquer ameaça. A nossa vitalidade, ela que é campeã”, afirmou. 

Veja o vídeo abaixo:

Este é o terceiro filme que Aïnouz apresenta no Festival de Cannes. A estreia do diretor no evento ocorreu em 2002 com Madame Satã. Em 2011, Aïnouz retornou à mostra com o longa O Abismo Prateado.

A Vida Invisível de Eurídice Gusmão ainda não tem previsão de estreia nos cinemas.