ENTRETENIMENTO
09/10/2020 04:00 -03

5 motivos para não deixar de ver a série 'A Maldição da Mansão Bly'

Saiba o que você vai encontrar na nova série da Netflix, que é da mesma família que o sucesso "A Maldição da Residência Hill".

Uma das melhores surpresa de 2018, A Maldição da Residência Hill foi lançada pela Netflixsem alardes e com o passar das semanas foi se transformando em uma das séries mais comentadas daquele ano. O sucesso foi tão grande que a plataforma encomendou mais uma temporada a seu criador, o cineasta Mike Flanagan, que na época se destacava como um dos nomes mais promissores do terror com filmes independentes.

Como Residência Hill tinha sido pensada como uma minissérie, que concluiu sua trama em 10 episódios, Flanagan decidiu que a segunda temporada não seria uma continuação direta. Seguindo o formato anterior, nasceu A Maldição da Mansão Bly, que estreia - com a expectativa do público lá no alto - nesta sexta-feira (9).

Nós do HuffPost já tivemos acesso à temporada completa de Mansão Bly e, sem dar spoilers, podemos afirmar que valeu todo o hype. 

Adaptação do clássico literário A Volta do ParafusoA Maldição da Mansão Bly tem a mesma vibe de Residência Hill - com algumas particularidades, claro - misturando elementos de drama familiar com terror de um jeito bem orgânico, em que momentos de muita emoção se intercalam com cenas assustadoras.

Mas mesmo depois de falar tudo isso, você ainda está com dúvidas se vale ou a pena assistir A Maldição da Mansão Bly? Então aqui vão 5 motivos para que você não deixe de ver essa série:

1 - Mike Flanagan segue no comando, mas ganha novos aliados

Agora mais conhecido (e requisitado) por ter dirigido Doutor Sono (2019), continuação do clássico do terror O Iluminado (1980), o cineasta Mike Flanagan continua no comando em A Maldição da Mansão Bly. Porém, diferentemente do que aconteceu em A Maldição da Residência Hill, ele assina a direção apenas do primeiro episódio. Os outros são dirigidos por nomes promissores que vêm se destacando no gênero terror: Ciarán Foy, Liam Gavin, Yolanda Ramke, Ben Howling, Axelle Corolyn e E.L. Katz.

2 - Uma adaptação bem particular de um clássico da literatura

Adaptações para cinema e TV do clássico A Volta do Parafuso (1898), do autor americano naturalizado inglês Henry James, não faltam. Como, por exemplo, Os Inocentes (1961), considerado um dos melhores filmes de terror de todos os tempos. A Maldição da Mansão Bly mantém muitas coisas do material original, mas como o próprio Flanagan deixou claro desde quando anunciou o projeto, essa seria uma adaptação bem livre da história clássica. Dito e feito. A trama, que se passa nos anos 1980 - bem depois da década de 1890 - mistura elementos de outros textos de James, como alguns de seus contos menos conhecidos. 

3 - O retorno de atores que brilharam em Residência Hill

Mesmo que a história de A Maldição da Mansão Bly não tenha nada a ver com a de A Maldição da Residência Hill, muitos atores que brilharam na série de 2018 retornam em novos papéis. Alguns de mais destaque, outros menores. Entre os que aparecem mais estão Victoria Pedretti como a babá Dani Clayton, Henry Thomas como atormentado Henry Wingrave e Oliver Jackson-Cohen como o ambicioso Peter Quint. Mas há também a participação especial de outros membros da “família Crain”, de Residência Hill, com Carla Gugino, Kate Siegel, que é também roteirista e esposa de Mike Flanagan, além de Katie Parker, que interpretou o fantasma de Poppy Hill.

4 - Novos atores se destacam

Se, por um lado, é bem legal reencontrar antigos rostos relacionados à Residência Hill, também é muito bom ver novos atores se destacando em Mansão Bly. Principalmente a dupla de crianças que interpretam Miles e Flora Wingrave: Benjamin Evan Ainsworth e Amelie Bea Smith, respectivamente. Eles estão simplesmente incríveis. Mas também não podemos deixar de enaltecer a performance de T’Nia Miller, de Years and Years, que simplesmente arrebenta no papel da governanta Hannah Grose.

5 - Indicada para o público mais medroso 

Mesmo fazendo muito sucesso em 2018, uma boa parcela de gente, aquelas que têm medo de assistir um filme ou uma série de terror, acabou deixando A Maldição da Residência Hill passar batido. Tudo bem, a série, mesmo que tenha muito de drama familiar em sua trama, tem alguns momentos bem assustadores. Mas esse não é o caso de Mansão Bly. Ela continua sendo uma série de terror com fortes elementos dramáticos, mas o horror aqui é mais clássico. Bem menos gráfico e muito mais sutil. É claro que ainda há um sustinho aqui e outro ali, mas é muito mais light que Residência Hill!

Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost