COMIDA
25/06/2019 12:32 -03 | Atualizado 29/10/2019 12:25 -03

Restaurante que serve apenas carne de porco é o único brasileiro entre os 50 melhores do mundo

Estreante no ano passado no The World’s 50 Best Restaurants, A Casa do Porco desbancou renomadas casa brasileiras e agora é a única entre os 50 melhores.

Quem passa pela ruas do centro de São Paulo deve estranhar a quilométrica fila de um modesto restaurante que serve apenas pratos com carne suína. O sucesso de público é apenas um sinal de como A Casa do Porco ascendeu nos últimos anos. E nesta terça-feira (25) tal sucesso foi concretizado: pela primeira vez, o restaurante do chef Jefferson Rueda foi a única casa brasileira entre os 50 melhores restaurantes do mundo eleito pela renomado ranking The World’s 50 Best Restaurants, da revista britânica Restaurant. 

O resultado foi anunciado nesta terça-feira (24) durante uma cerimônia em Cingapura. Divulgada na semana passada, a segunda parte do ranking (do 51º ao 120º lugar) contou com D.O.M., do chef Alex Atala (54ª posição), o Maní, (da chef Helena Rizzo (73º), Lasai (74º) e o estreante Oteque (100º). 

Porém, quem mais brilhou nesta edição do ranking, conhecido como o “Oscar da gastronomia”, foi sem dúvida o chef Rueda, que viu seu restaurante pular da 79ª posição no ano anterior (em que era estreante) para o disputado 39º lugar, entre os 50 melhores do mundo. 

A casa foi inaugurada em 2015 e já tinha o salão lotado quando chamou atenção da crítica. Por lá, só são servidos pratos feitos com carne de porco, desde entradinhas até pratos principais bem-servidos e com preços acessíveis ― o mais difícil mesmo é conseguir um lugar no restaurante que está sempre lotado e com uma enorme fila de espera. 

O estabelecimento desbancou D.O.M., de Atala, que até então costumava ficar isolado entre os 50 melhores. No ano passado, ele estava no 30º lugar ― uma queda de 24 posições em um ano.

Os resultados continuam sendo divulgados na cerimônia em Cingapura. Na primeira posição está o francês Mirazur, em Menton. Atrás dele estão Noma, de Copenhagen, na Dinamarca, e o espanhol Asador Etxebarri.