OPINIÃO
29/04/2019 01:01 -03 | Atualizado 29/04/2019 01:01 -03

Novo episódio eleva as batalhas de 'Game of Thrones' à enésima potência

O mais longo da série até aqui, episódio cumpre todas as expectativas de quem esperava por um confronto épico.

Divulgação
Jaime Lannister (Nikolaj Coster-Waldau) e Brienne (Gwendoline Christie) na expectativa para o grande confronto com o exército do Rei da Noite.

Chegou o momento que todos esperavam: a batalha contra o exército do Rei da Noite. E toda a expectativa valeu a pena! O 3º episódio da última temporada de Game of Thrones foi realmente épico. Maior em tudo, até na duração, o mais longo da série até hoje, com 1 hora e 22 minutos.

É bem verdade que o massacre de personagens sugerido no tom de despedida do episódio anterior, na verdade, não aconteceu. Tirando uma das mortes mais sentidas de Game of Thrones até aqui, faltou coragem aos front runners David Benioff e D.B. Weiss, que pouparam praticamente todo mundo em meio a um impressionante genocídio causado por uma gigantesca horda de Caminhantes Brancos.

Mas tirando isso, não há muito o que reclamar do episódio repleto de ação e tensão para todos os lados.

As surpresas ficaram mesmo para o papel que cada um teve no desenrolar da batalha. Se esperava mais de Daenerys (Emilia Clarke) e Jon Snbow (Kit Harington), por exemplo. Foi Arya (Maisie Williams), sempre ela, que rouba o show.

Se na semana passada a caçula entre os Starks vivos chocou muita gente ao mostrar um lado seu que os fãs nunca tinham visto antes, neste domingo (28) ela colocou todo a sua jornada à prova em um desfecho que levou o público ao delírio.

A Batalha de Winterfell elevou as megalomaníacas cenas de guerra de Game of Thrones à enésima potência, deixando até um pulga atrás do orelha de seus espectadores. Será que há como superá-la? E não só em tamanho, mas na satisfação dos fãs ao ver sua conclusão, que gerou, certamente, um grito de empolgação mundo afora.