Você pede carro por app todo dia? Saiba como usufruir do serviço poupando grana

Conversamos com uma especialista sobre o assunto e temos algumas dicas para você.
Combinar modos de transporte ajuda a equilibrar os gastos com uso de app.
Combinar modos de transporte ajuda a equilibrar os gastos com uso de app.

Pedir transporte por aplicativo tornou-se um gasto comum nas nossas contas mensais. Pedimos ao voltar do bar com os amigos para casa, quando surge um imprevisto e precisamos agilizar o deslocamento, para complementar o transporte público na ida a algum compromisso e por aí vai.

Entretanto, é importante termos em mente que os preços atrativos das corridas devem ser compatíveis com seu bolso — é o que torna a experiência ainda melhor.

Segundo Myrian Lund, especialista em finanças e professora de economia da FGV (Fundação Getúlio Vargas), o ideal é se planejar. “A tendência das pessoas, por ser barato, é usar continuamente. Então, você tem que definir quando vai usar, para quê usar e quanto você está disposto a gastar com esse serviço”, diz.

Definir metas, conta a planejadora financeira, é o que te ajuda a não ir além do que seu orçamento cobre. Esse processo implica em ficar de olho nos custos no decorrer do mês, para verificar se você está ou não dentro da sua meta.

Além disso, combinar o transporte pedido por aplicativo com o transporte público — ônibus e metrô, por exemplo — te ajuda a ter deslocamentos mais econômicos, sugere Lund.

“A tendência natural do ser humano é buscar o conforto. No momento, você pensa ‘ah, são só sete ou oito reais’, mas isso faz diferença no fim do mês. Três reais poupados por dia equivalem a R$ 1080 no fim do ano. Tudo na vida são escolhas. Se eu tenho salário limitado, devo fazer escolhas”, conta.

Lund diz que, hoje, o brasileiro gasta no mínimo mil reais por mês com o carro próprio, em um cenário em que o automóvel já está pago. Se o usuário tem carro próprio e frequentemente pede transporte por aplicativo, não faz sentido gastar mais do que mil por mês com o serviço. Se gastar, talvez tenha chegado a hora de repensar sobre ter ou não um carro próprio (este quiz e esta lista que fizemos podem te ajudar com essas questões).

Considere também que, quando você tem um veículo e opta deixá-lo em casa para sair e pedir carro na volta porque você consumiu bebida alcoólica, surge aí uma despesa adicional.

“Pegue as contas diárias e multiplique-as pelos dias do mês”, sugere a especialista. “Com finanças comportamentais, nossa cabeça não consegue fazer conta, não funciona com a contabilidade mental. Aí a gente esquece o que gastou. Não é um problema seu, é uma questão da mente.”

Segundo a especialista, ter uma planilha é o ideal para visualizar os números organizados, bem como um cartão de crédito pré-pago em que um valor definido esteja disponível para uso. Se pagar a corrida em dinheiro, anote para não correr risco de esquecer do gasto e acrescentá-lo ao controle das outras corridas pagas com cartão.

Custo de balada ou bar de fim de semana deve sempre incluir o deslocamento para você se planejar bem financeiramente.
Custo de balada ou bar de fim de semana deve sempre incluir o deslocamento para você se planejar bem financeiramente.

Dois conselhos que podem ser fundamentais para você. O primeiro é ter uma reserva financeira, cujo valor deve ser o do seu custo de vida — a média de gastos dos últimos três meses — multiplicado por seis. Por exemplo: se sua média de gastos mensal for de R$ 2 mil, sua reserva deve ser de R$ 12 mil.

O segundo é considerar que, no custo da balada ou do bar do fim de semana, deve ser considerado o deslocamento. Na volta para casa, dividir uma corrida 99 com seus amigos pode ser muito mais econômico do que voltar sozinho.