OPINIÃO
19/03/2019 06:44 -03 | Atualizado 19/03/2019 06:44 -03

Há 20 anos: 10 filmes que provam que 1999 foi o último grande ano do cinema

Inovadores, surpreendentes, influentes... Filmes como 'Matrix', 'O Sexto Sentido' e 'Clube da Luta' deixaram sua marca na história.

Divulgação/Montagem
Matrix, O Sexto Sentido e Clube da Luta são algumas das produções que se destacaram no fim da década de 1990.

Muita gente reclamou (com razão) que a lista dos finalistas ao Oscar de Melhor Filme em 2019 era bem fraca. Tudo bem que havia filmes excelentes, como Roma e Infiltrado na Klan, mas há anos a Academia não precisa quebrar a cabeça para montar sua lista. Mais precisamente 20 anos, porque, sem sombra de dúvidas, 1999 foi o último grande ano do cinema.

Era o encerramento de uma década especial em Hollywood, bem parecida com o que havia acontecido nos anos 1970, quando os grandes estúdios, assustados com uma queda brutal de bilheteria, deram carta branca para diretores da nova geração que conseguiam aliar boas críticas a bons lucros com produções independentes.

Foi assim que, do nada, filmes de diretores desconhecidos, como Matrix e O Sexto Sentido se transformaram em sucessos de bilheteria estrondosos e alcançaram o status de ícones da cultura pop da época.

E todos sabem o que acontece normalmente quando artistas ganham um cheque em branco… Uma avalanche de filmes inovadores feitos por jovens cineastas sem medo de arriscar. Isso sem falar de alguns veteranos que viviam à margem de Hollywood que poderiam, finalmente, contar com o aporte financeiro ou de distribuição necessário para que suas obras pudessem chegar a um público que eles nunca tiveram.

A ano de 1999 foi tão especial que filmes com o status de Clube da Luta, Magnólia, Quero ser John Malkovich e De Olhos Bem Fechados nem concorreram ao Oscar de Melhor Filme em 2000, vencido por Beleza Americana, estrelado pelo hoje persona non grata Kevin Spacey.

Fizemos uma lista de 10 filmes desse ano mágico que você precisa ver (ou rever) agora mesmo:

*Perceba que a escolha é tão complicada que deixamos de fora filmes como Beleza Americana, História Real, Tudo Sobre Minha Mãe, Eleição, O Mundo de Andy, A Bruxa de Blair, entre (vários) outros.

  • Matrix
    Matrix
    Divulgação
    Uma das maiores surpresas de 1999 transformou-se em um dos filmes mais influentes da história do cinema. A obra das irmãs Lana e Lilly Wachowski - na época ainda assinavam como Andy e Larry - não estava (nem de longe) entre as produções mais aguardadas daquele ano e acabou como a 5ª maior bilheteria de 99. Antes, a dupla tinha feito apenas um thriller não muito conhecido, Ligadas Pelo Desejo (1996), e surpreenderam o mundo com uma ficção científica cheia de ação, muita inventividade (criando efeitos especiais inéditos para o período), e toneladas de referências que iam da cultura pop à filosofia oriental. A trama que lida com uma realidade alterada por robôs transformou-se em uma discussão profunda por parte do público, que se deliciava com inúmeras teorias sobre a tal Matrix. A imagem de Keanu Reeves, como o hacker Neo, e de Laurence Fishburne, como o líder da resistência humana Morpheus, tornaram-se referência na cultura pop. Onde assistir: HBO Go.
  • Clube da Luta
    Clube da Luta
    Divulgação
    Apenas 3 anos depois do lançamento do livro de Chuck Palahniuk, a versão cinematográfica de Clube da Luta tomou o mundo de assalto no boca a boca, tornando-se um dos mais importantes filmes da década de 1990 mesmo sem ser um estrondoso sucesso de bilheteria.  A tresloucada e niilista visão de mundo de Palahniuk e a direção cheia de soluções inovadoras e criativas de David Fincher fizeram de Edward Norton e Brad Pitt "os caras" daquele ano. A violência e o senso de humor cínico e sombrio do filme gerou polêmica no mundo todo, ainda mais aqui no Brasil, depois que o estudante de medicina Mateus da Costa Meira entrou em uma sessão do filme no cinema do Shopping Morumbi, em São Paulo, e abriu fogo contra a plateia com uma metralhadora, matando 3 pessoas. Posteriormente ele teria dito que fez aquilo influenciado pela mensagem violenta de Clube da Luta. Onde assistir: Amazon Prime.
  • Magnólia
    Magnólia
    Divulgação
    Terceiro longa do cultuado diretor americano Paul Thomas Anderson, Magnólia pode não ter sido um grande sucesso comercial (como todos os filmes de Anderson, aliás), mas tornou-se, definitivamente, em um dos grandes filmes cults da década de 1990. O casamento entre a intrincada forma de Anderson contar histórias que lidam com o tema do perdão, a trilha sonora com as espetaculares canções de Aimee Mann e um elenco com atores espetaculares como Julianne Moore, Philip Seymour Hoffman, John C. Reilly, William H. Macy, entre outros, faz de Magnólia um filme obrigatório. Destaque para duas cenas inesquecíveis: A dos personagens cantando Wise Up (simplesmente maravilhosa!) e a famosa chuva de sapos. Onde assistir: Netflix.
  • O Sexto Sentido
    O Sexto Sentido
    Divulgação
    Assim como Matrix, O Sexto Sentido apareceu do nada. Todo mundo perguntava: Quem é esse tal de Shyamalan? Antes desse thriller psicológico com pitadas de terror, o diretor americano de origem indiana tinha dirigido apenas dois filmes que ninguém viu. Só para se ter uma ideia do que foi o fenômeno de O Sexto Sentido, a produção custou US$ 40 milhões e rendeu impressionantes US$ 293 milhões, ficando atrás, no ranking de bilheteria de 1999, apenas de Star Wars: Episódio I - A Ameaça Fantasma, que contava com uma campanha de marketing gigantesca e uma base de fãs da saga ainda maior. Aliás, falando em Star Wars, o impacto do plot twist do filme de M. Night Shyamalan talvez só fique atrás da famosa descoberta de que Darth Vader é pai de Luke Skywalker, revelada em Star Wars: Episódio V - O Império Contra-Ataca. Onde assistir: Netflix e Telecine Play.
  • Quero ser John Malkovich
    Quero ser John Malkovich
    Divulgação
    A estreia de Spike Jonze, diretor de marcantes videoclipes de artistas como Beast Boys, Björk, Weezer, Sonic Youth, Daft Punk e Chemical Brothers, no cinema era das mais aguardadas. E ele não fugiu da raia, levando seu estilo esquisitão às últimas consequências nessa comédia dramática surreal, em que um artista manipulador de bonecos consegue, literalmente, entrar na mente do ator John Malkovich. Cult instantâneo, Quero ser John Malkovich é um excelente exemplo da liberdade que os cineastas ganharam em Hollywood na década de 1990, status que nunca mais conseguiram desde então. Onde assistir: Claro Vídeo e Looke.
  • eXistenZ
    eXistenZ
    Divulgação
    O thriller psicológico bizarro de David Cronenberg está longe de ser um dos filmes mais conhecidos de 1999. Uma pena, porque ele precisa ser redescoberto. Quem mais conseguiria tornar aceitável uma trama em que videogames são transformados em máquinas orgânicas e sensuais que se ligam às pessoas por um cordão umbilical? Realidade virtual era um assunto ainda pouco explorado à época, e Cronnenberg consegue - à sua excêntrica maneira, claro - se aprofundar na questão entre o que é real e o que é simulação de forma eficiente, inovadora e empolgante. Onde assistir: Looke.
  • Três Reis
    Três Reis
    Divulgação
    Com apenas o esquisitíssimo A Mão do Desejo (1994) no currículo, o diretor David O. Russell surpreendeu todo mundo com essa comédia de guerra engraçada e provocadora. O filme reuniu um carismático trio formado por um George Clooney rumo ao ápice de sua carreira, o ainda novato Mark Wahlberg e o rapper Ice Cube, ainda buscando um papel de destaque depois de Os Donos da Rua (1991), para criticar a Guerra do Golfo com muita sátira e ação na medida certa. Onde assistir: Google Play e Apple TV.
  • O Gigante de Ferro
    O Gigante de Ferro
    Divulgação
    Excelente filme da safra de 1999 que passou despercebido pelo grande público, principalmente no Brasil, onde sequer estreou nos cinemas, O Gigante de Ferro, com o tempo, tornou-se um cult amado por fãs de animação do mundo todo. O filme sofreu por ser feito com técnicas mais tradicionais, que estavam totalmente fora de moda naquela época em que a Pixar popularizou a animação digital. Aliás, o filme de Brad Bird - que depois dirigiu dois grandes sucessos da Pixar: Os Incríveis (2004) e Ratatouille (2007) - foi totalmente eclipsado pela sequência de Toy Story, 3ª maior bilheteria daquele ano. O tempo, porém, pesou a favor de O Gigante de Ferro, que hoje é bem menos datado que as primeiras produções da Pixar e é apontado por muitos críticos como uma das melhores animações de todos os tempos. Onde assistir: Google Play e Looke.
  • De Olhos Bem Fechados
    De Olhos Bem Fechados
    Divulgação
    O último filme da carreira do grande Stanley Kubrick não foi muito bem recebido pelo público. Mas também, a expectativa era imensa, pois fazia mais de uma década que o diretor não lançava nada. Seu filme anterior foi Nascido Para Matar, de 1987. E Kubrick demorou 3 longos anos para finalizar De Olhos Bem Fechados, para a loucura do estrelado casal de protagonistas, Tom Cruise e Nicole Kidman, que não suportavam mais o perfeccionismo patológico do cineasta. Porém, com o passar dos anos, esse sensual thriller psicológico foi ganhando o valor que merecia, tornando-se um dos grandes cults da década de 1990. Onde assistir: Google Play, Apple TV e Looke.
  • O Informante
    O Informante
    Divulgação
    O neozelandês Russell Crowe tornou-se uma estrela mundial como o protagonista de Gladiador (2000), mas foi um ano antes, neste trhiller político/drama do mestre do cinema policial Michael Mann que ele apareceu como o next big thing de Hollywood, concorrendo ao Oscar de Melhor Ator. E isso dividindo a tela com ninguém menos que Al Pacino! O Informante não conta com as incríveis sequências de ação que marcaram muitos filmes de Mann, mas a tensão e o estilo visual do cineasta americano dão a essa densa história de bastidores da indústria do tabaco um ritmo incrível que não deixa nada a dever a outras grandes obras de Mann, como Profissão Ladrão (1981) e Fogo Contra Fogo (1995). Onde assistir: Telecine Play.