Opinião

Receita da empatia: 9 passos para semear respeito

Sabe quando a gente tenta entender o ponto de vista de uma pessoa antes de criticar? Ou quando a gente conhece o próximo ao invés de já ir criando preconceitos?
Esta postagem foi publicada na plataforma, agora fechada, do Colaborador do HuffPost. Os colaboradores controlam seu próprio trabalho, que são postados livremente em nosso site. Se você precisa denunciar este artigo como abusivo, envie-nos um e-mail.

Por Vinicius Cordeiro, 22 anos, morador de Rio Grande da Serra

Sabe quando a gente tenta entender o ponto de vista de uma pessoa antes de criticar? Ou quando a gente conhece o próximo ao invés de já ir criando preconceitos?

O nome disso é empatia, o tema da série #EuCurtoeCompartilhoRespeito, que estamos fazendo na Na Responsa!

Empatia é o respeito ao outro e à diferença em várias situações. É quando a gente se coloca no lugar do outro e consegue sentir as emoções e intenções dessa pessoa exatamente por nos imaginarmos no lugar dela e como ela se sente.

O tema é tão importante que tem um centro de pesquisas na Inglaterra que é voltado a estudar isso: o Greater Good (Bem Maior, em português), e reuniu uma série de estudos que mostram que ser alguém que se identifica com o outro tá com tudo.

Os trabalhos dos caras apontam aquilo que a gente sabe de viver e ver: a empatia reduz o racismo, o bullying, a desigualdade. E ainda é bom pra saúde porque melhora o nosso bem-estar emocional e deixa a gente mais disposto a ajudar os outros.

Mesmo que exista um pessoal que tem preconceitos, biologicamente falando não existe ninguém sem empatia, avisa a professora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro Angela Donato.

"É uma habilidade que faz parte do repertório comportamental da nossa espécie e de outros animais que vivem em grupo porque é uma questão de sobrevivência, você precisa entender a intenção do outro. Portanto, você não cria empatia, mas pode fazer uma 'musculação' nela para aprimorá-la."

É isso o que a gente vai te ajudar a fazer. Pra dar um up na empatia, o Greater Good elaborou uma receita. Dá uma olhada:

1 - Se liga no que rola ao seu redor

Preste atenção no comportamento de outras pessoas, se ligue que é todo mundo diferente de você e ponto. Isso vai te ajudar a abrir a mente sobre os outros.

2 - Sai dessa cabeça

O lance é ver as coisas por ângulos diferentes, imaginar o que o outro tá passando.

3 - Nada de julgar o livro pela capa

Sem preconceitos, hein! Não dá pra julgar o outro se a gente não conhece o que é ser o outro.

4 - Momento meditação

Vamos fechando os olhinhos, ficando relaxado e pensando em gente que é diferente da gente. Essa é a hora perfeita pra gente parar e refletir sobre as dificuldades que os outros enfrentam. Ommmmmm...

5 - Dá uma viajada sem sair do lugar

Ler livros de ficção pode te ajudar a ser mais antenado em relação às emoções e intenções dos outros. Não é a gente que diz isso, tem pesquisas apontando esse caminho.

6 - Aumenta o volume com a galera

Dá pra melhorar sua empatia ouvindo música com o pessoal. Cada um coloca o som que curte, geral comenta o que acha do artista, do gosto alheio e dá-lhe aprendizado.

7 - Faz bem jogar bola, videogame ou coisas do tipo

Competir com a turma em um jogo faz os nossos cérebros entenderem o que o outro tá pensando e quais são suas intenções ou seja, rola uma interação.

8 - Refletir antes de causar

Pintou um B.O.! Então dá uma segurada! Antes de sair retrucando, dá uma pausa, reflete e tenta entender o motivo da outra pessoa ter reagido daquela maneira.

9 - Não deixe o dinheiro subir à cabeça

De acordo com os estudos, quanto mais dinheiro você tem, menos empatia vai ter porque você não vai precisar se relacionar ou cooperar tanto com outras pessoas. A diferença entre ricos e pobres também pode ampliar essa falta de empatia.

O pessoal do Greater Good também fez um questionário maneiro pra você tentar desvendar as emoções das pessoas de acordo com as expressões faciais delas. Está em inglês, mas vale a pena. O exercício pode te ajudar a melhorar a interpretação sobre o sentimento dos outros.

Quer continuar lendo textos como esse? Seja um apoiador firmeza da Énois e ajude a gente com as nossas formações de jornalismo com os jovens. Clique aqui e saiba como apoiar.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:

Nova coleção de Barbies abraça a diversidade