OPINIÃO
02/02/2015 13:01 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Tartarugas são atropeladas nas praias de São Miguel do Gostoso

O pior é a falta de iniciativa da Prefeitura para fechar os acessos de veículos às praias urbanas. Por enquanto as maiores vítimas do trânsito nas praias são tartarugas marinhas que fazem ninhos ao longo da costa da cidade. São Miguel do Gostoso é uma espécie de santuário de reprodução de tartarugas. Há centenas de ninhos em todas as praias.

ONG Amjus

O que já era ruim, agora está muito pior. O trânsito na orla urbana de São Miguel do Gostoso (RN), que antes era dominado por carros e motoqueiros enlouquecidos, agora também foi invadido por quadriciclos.

Com isso, há relatos de pessoas e ONGs que encontraram tartarugas e ninhos desta rara espécie esmagados pelos pneus de veículos na orla da cidade. Agências de turismo estão alugando quadriciclos para qualquer pessoa. Basta chegar com o dinheiro que o veículo é alugado. Não há a menor preocupação se o condutor é habilitado para dirigir veículos ou se é menor de idade. Aí é um Deus nos acuda nas praias e nas ruas da cidade.

Neste verão, aumentou consideravelmente o movimento de quadriciclos. E eles trafegam a qualquer hora e em qualquer direção. À noite, é comum ver estes veículos trafegarem em velocidade pelas praias e ruas da cidade.

Muitos dos que dirigem quadriciclos são menores sem habilitação, o que aumenta o risco de acidente. Pior: a exemplo das motos, eles também circulam com cano de escape estourados, aumentado consideravelmente o barulho destes veículos. O trânsito nas ruas da cidade está cada vez pior. São Miguel do Gostoso está parecendo mesmo uma cidade sem lei.

A Prefeitura tem feito muito pouco para pôr ordem na cidade. Aqui e acolá a polícia toma alguma iniciativa e apreende motos que circulam em alta velocidade. Há placas na rua indicando estacionamento proibido, mas praticamente nenhum motorista respeita.

O pior é a falta de iniciativa da Prefeitura para fechar os acessos de veículos às praias urbanas. Sem isso, carros, motos e quadriciclos invadem a orla urbana, desrespeitando adultos e crianças que estão nas praias. Por enquanto as maiores vítimas do trânsito nas praias são tartarugas marinhas que fazem ninhos ao longo da costa da cidade. São Miguel do Gostoso é uma espécie de santuário de reprodução de tartarugas. Há centenas de ninhos em todas as praias.

Monitorados pela pela ONG Amjus, desde o momento da desova até o nascimento dos filhotes de tartarugas, nos locais da desova são colocadas uma bandeirola amarela e faixas alertando que ali existem ninhos de tartarugas. "Atenção - desova de tartarugas" - está escrito nas bandeirolas sobre os ninhos. Com o aumento do tráfego, cresceu também o numero de relatos de pessoas que e presenciaram tartarugas esmagadas sob os pneus dos veículos. Absurdo, né? Mas este crime ambiental está ocorrendo em São Miguel do Gostoso.

A tartaruga é uma espécie em extinção. Mais rara ainda é a chamada tartaruga de pente - é muito comum ver ninhos desta espécie no litoral de São Miguel do Gostoso. Infelizmente tudo isso está sendo destruído por motoristas irresponsáveis.

Em qualquer lugar do mundo, a escolha de uma praia para a desova de tartarugas seria motivo de orgulho para a sua população. Em São Miguel do Gostoso, motoristas ignorantes e desrespeitosos com a vida animal ajudam a destruir tartarugas.

Segundo a Amjus, órgãos como o Conselho Regional de Biologia reconhecem a orla de São Miguel do Gostoso como santuário ecológico de preservação de tartarugas.

Qualquer tipo de agressão a estes animais é considerado crime ambiental e punido por legislação federal. Agora imaginem a gravidade de crimes como o atropelamento de tartarugas por motoristas irresponsáveis que não respeitam nem estes animais nem a população da cidade.

O alerta está dado. Carros, motos e quadriciclos esmagam ninhos de tartarugas e atropelam espécies deste tipo na orla de São Miguel do Gostoso. Cabe à Prefeitura, à polícia e aos órgãos ambientais cuidar imediatamente destes abusos.

Siga a gente no Twitter

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.