OPINIÃO
17/10/2014 14:58 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:36 -02

Pesquisa no RN mostra favoritimo de Robinson sobre Henrique

Senado Federal/Flickr
Eleições 2014 - Votação no primeiro turno das eleições no Colégio Dom Orione, no Lago Sul, em Brasília. Foto: Marri Nogueira/Agência Senado

Por esta quase ninguém esperava. A primeira pesquisa Ibope no segundo turno para o governo do Rio Grande do Norte indica favoritismo de Robinson Faria (PSD) sobre Henrique Alves (PMDB). Se a eleição fosse hoje, Robinson teria 54% dos votos válidos contra 46% de Henrique. Nos votos totais, Robinson tem 45% e Henrique, 38%.

Se este resultado for mantido até o dia 26 de outubro, data da eleição, Robinson Faria deverá ser o próximo governador do RN. O resultado surpreende porque Henrique Alves sempre foi apontado como favorito. Agora tudo indica que o todo-poderoso presidente da Câmara dos Deputados vai perder a eleição.

E o pior para Henrique é que sua rejeição não para de crescer - 47% dos eleitores não votam nele de jeito nenhum. A rejeição de Robinson é bem menor, de 35%. Com tamanha rejeição, há risco alto de Henrique perder a eleição.

Esta eleição tem uma história curiosa. Henrique tinha tudo para ter sido eleito no primeiro turno, se não tivesse puxado o tapete da deputada Fátima Bezerra (PT), que era a candidata na sua chapa para o Senado. Mas Henrique trocou Fátima pela ex-governadora Wilma de Faria (PSB), que era candidata ao governo.

Henrique fez isso para limpar o terreno de sua candidatura a governador. Sem Wilma concorrendo ao governo, ele teria tudo para se eleger ao governo - e ainda por cima elegeria Wilma para o Senado. Deu tudo errado na estratégia de Henrique. Sem o apoio do PMDB, Fátima se aliou a Robinson (foto), fortaleceu o candidato do PSD, e se elegeu senadora.

Passada a eleição de 5 de outubro, em que Fátima teve uma expressiva votação e derrotou Wilma por grande margem de votos, a petista continuou puxando o voto em benefício de Robinson. Deu no que deu. Robinson cresceu, superou Henrique, e agora é favoritíssimo para se governar o RN a partir do próximo ano.

Neste episódio, em que Henrique deu uma rasteira na deputada petista e na aliança do PT com o PMDB, trocando Fátima pelo apoio a Wilma, fica um ensinamento que costuma ocorrer em política. Neste caso, costuma-se dizer que, quando a esperteza é muito grande, acaba por engolir o esperto.

Foi o que aconteceu com Henrique. Se ele tivesse mantido a aliança com Fátima, que vinha sendo costurada há muito tempo com o próprio Henrique e com as liderança do PMDB potiguar, Henrique estaria hoje eleito governador.

Mas parece que a esperteza de Henrique não tem limites.

Agora ele ensaia apoio ao presidenciável Aécio Neves (PSDB), adversário de Dilma Rousseff (PT), que é apoiada pelo PMDB - o vice da petista, Michel Temer, é do mesmo partido de Henrique. Mas Henrique nunca morreu de amores por Dilma e, agora, embarcar na canoa de Aécio para tirar proveito, caso ele seja eleito.

Na sucessão presidencial, continua o equilíbrio entre Aécio e Dilma. Pesquisas Datafolha e Ibope divulgadas nesta quarta (15/10) indicam novo empate entre os dois, mas numericamente com o tucano à frente: Aécio 51%, Dilma 49% dos votos válidos (45% a 43% respectivamente nos votos totais).

Outra pesquisa divulgada durante esta semana, do instituto Vox Populi, também dá empate, só que com os números invertidos - 51% para Dilma e 49% para Aécio.

Mas há mais sinais negativos para Aécio do que para Dilma. Segundo o Datafolha, a rejeição do tucano subiu quatro pontos deste a última pesquisa, divulgada no dia 9/10, passando de 34% para 38%. A rejeição de Dilma caiu de 43% para 42%. Mais: continua subindo a aprovação ao governo Dilma, que chegou a 40%.

No primeiro turno, Aécio foi poupado pela candidata do PT, que direcionou seu foco para Marina Silva, que até então ameaçava mais a petista do que o tucano. Agora a história é outra. Aécio foi para o segundo turno e há uma enxurrada de críticas e acusações feitas a ele na campanha da petista e nas redes sociais.

Prova de que a estratégia adotada pelo PT de desconstruir o tucano está dando certo. Tem mais: o Datafolha constatou que o apoio de Marina Silva a Aécio está atrapalhando mais do que ajudando. Subiu de 13% para 23% o índice de eleitores que dizem não votar em Aécio depois que Marina declarou apoio a ele.

Abaixo, links com resultados das pesquisas no RN e para presidente, além de outros enfoques sobre o impressionante equilíbrio na disputa presidencial, inclusive o fato de apoio de Marina a Aécio está atrapalhando o tucano.

http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/eleicoes/2014/noticia/2014/10/ibope-votos-validos-robinson-tem-54-e-henrique-46-no-rn.html

http://blog.tribunadonorte.com.br/panoramapolitico/103730

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/10/1533060-aecio-mantem-51-das-intencoes-de-voto-ante-49-de-dilma-diz-datafolha.shtml

http://eleicoes.uol.com.br/2014/noticias/2014/10/15/ibope-aecio-neves-psdb-tem-dilma-rousseff-pt.htm

http://www.infomoney.com.br/mercados/eleicoes/noticia/3632858/vox-populi-mostra-empate-tecnico-mas-com-dilma-frente-aecio

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/10/1533127-apoio-de-marina-a-aecio-pode-mais-atrapalhar-que-ajudar-diz-datafolha.shtml

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/10/1533060-aecio-mantem-51-das-intencoes-de-voto-ante-49-de-dilma-diz-datafolha.shtml

http://g1.globo.com/politica/blog/blog-do-camarotti/post/aumento-da-rejeicao-de-aecio-e-um-alerta-para-campanha-tucana.html

http://g1.globo.com/politica/blog/cristiana-lobo/post/o-vento-passou.html

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-datafolha-parece-mostrar-que-o-momento-de-aecio-passou/

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.


VEJA TAMBÉM NO BRASIL POST:

2014: Os maiores doadores de campanha