OPINIÃO
01/02/2015 16:57 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Mundo está despreparado para futura pandemias, alerta Banco Mundial

DFID - UK Department for International Development/Flickr
At the Army's Ebola training facility near York, NHS medics have been preparing to head out to fight the disease in Sierra Leone. As part of the training, the fake blood and bodily fluids used contain a special dye that shows up under ultra-violet light. At the end of a training sequence, the medics stand under the UV light to see if any of the liquids have transferred to them, to learn how to minimise the spread of bodily fluids from patients which - in the real-life scenario of a treatment centre in Sierra Leone - could be carrying Ebola. Doctors, nurses and medics from across the UK's National Health Service are joining Britain's fight against Ebola in Sierra Leone. More than 30 NHS staff from across the UK will make up the first group of volunteers to be deployed by the UK government. The NHS volunteers have spent 9 days training at the Army Medical Services Training Centre, at Strensall near York in preparation. The facility is a replica of a Sierra Leone Ebola treatment centre. The group - which includes GPs, nurses, clinicians, psychiatrists and consultants in emergency medicine - will work on testing, diagnosing and treating people who have contracted the deadly virus. They will work in British-built treatment centres across the country, which when full, will triple Sierra Leone’s bed capacity. Find out more about the UK's fight against Ebola in Sierra Leone at: <a href="https://www.gov.uk/government/topical-events/ebola-virus-government-response" rel="nofollow">www.gov.uk/government/topical-events/ebola-virus-governme...</a> --------------------------------------- Picture: Simon Davis/DFID <strong>Free-to-use photo</strong> This image is posted under a <a href="http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/" rel="nofollow">Creative Commons - Attribution Licence</a>, in accordance with the <a href="http://www.nationalarchives.gov.uk/doc/open-government-licence/" rel="nofollow">Open Government Licence</a>. You are free to embed, download or otherwise re-use it, as long as you credit the source as 'Simon Davis/DFID'.

O Banco Mundial alertou que o mundo está "perigosamente despreparado para enfrentar futuras pandemias".

A declaração foi feita pelo presidente da instituição financeira, Jim Yong Kim, em discurso nesta terça-feira na Universidade Georgetown, em Washington.

Lições

Kim afirmou que "o surto de ebola foi arrasador em termos de vidas perdidas e perdas econômicas na Guiné, na Libéria e em Serra Leoa".

Segundo o chefe do Banco Mundial, "é necessário atingir zero caso da doença e, ao mesmo tempo, preparar o mundo para futuras pandemias que podem se tornar mais mortais do que o visto até agora com o ebola".

Ele disse que "as autoridades devem aprender as lições deixadas pelo surto de ebola porque não há dúvida de que o mundo enfrentará outras pandemias nos próximos anos".

Kim afirmou que "governos, companhias de seguros, organizações multilaterais empresas e doadores internacionais devem trabalhar juntos na criação de um sistema para ajudar os países na preparação para desastres de saúde".

Central de Pandemia

Ele explicou que o Banco Mundial, a Organização Mundial da Saúde e outras agências da ONU assim como empresas do setor privado estão discutindo o desenvolvimento de uma instalação central de pandemia.

Kim espera que uma proposta sobre o assunto seja apresentada aos líderes de países desenvolvidos e em desenvolvimento nos próximos meses.

Para o chefe do Banco Mundial, "quanto mais os países, as organizações multilaterais, corporações e doadores internacionais trabalharem juntos para enfrentar futuras pandemias, maiores serão os benefícios".

Ele disse que um dos possíveis resultados da criação de um centro para combater a pandemia será o fortalecimento da OMS, como também criar nos países em desenvolvimento a capacidade para uma ação mais forte das agências de controle de doenças.

Acompanhe outras notícias da Rádio ONU.

Curta a gente no Facebook |
Siga a gente no Twitter

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.