OPINIÃO
14/08/2018 11:25 -03 | Atualizado 14/08/2018 11:33 -03

Dieta cetogênica – vantagens, desvantagens e problemas

Lembre-se: cuidar da saúde e controlar o peso significa muito mais que a escolha da comida.

grandriver via Getty Images

Há muito reboliço em torno das dietas cetogênicas ou de baixo carboidrato e alta gordura. Talvez você tenha feito uma delas, ou então já leu a respeito, mas não ficou convencido. Ou então talvez tenha tentado fazer as dietas de Atkins ou Dukan (parecidas, mas diferentes!) e não sabe por que falam tanto do assunto.

Quer saber por que essas dietas podem não ser melhores que as outras dietas da moda? Continue lendo.

As vantagens

Dietas cetogênicas ou outras que reduzem o consumo de carboidratos se baseiam num princípio muito simples: baixar a carga de insulina. E, portanto, a resistência à insulina. O que isso quer dizer?

Uma em cada três pessoas seria pré-diabética e teria dificuldade para controlar o nível de açúcar no sangue. Doença do fígado gorduroso e diabetes estão aumentando. Qual é o ponto em comum disso tudo? Resistência à insulina. A resistência à insulina está associada a um risco maior de todos os problemas de saúde descritos acima, além de doenças cardíacas e mais. Ela é associada à gordura abdominal -- a gordura que se acumula entre os órgãos – e é mais comum entre as pessoas que acima do peso ou obesas. Nossas dietas com muitos carboidratos e alimentos ultraprocessados significam que nossos índices de insulina são uma verdadeira montanha-russa – e a insulina promove o armazenamento da energia em excesso na forma de gordura. Quanto mais estamos expostos à insulina, maiores as chances de nos tornarmos resistentes a ela.

As dietas cetogênicas têm o objetivo de cortar drasticamente nosso consumo de carboidratos, bem como o de proteínas magras, que também podem elevar os níveis de insulina. A ideia é aumentar o consumo de gorduras saudáveis e combos de proteína e gordura, o que leva a respostas de insulina muito mais baixas. Em teoria, isso reduz o armazenamento de gordura e ajuda a queimar as reservas existentes – a gordura é transformada em corpos cetônicos (donde o nome dieta cetogênica), que são usados como fonte de energia. Além disso, gordura e proteínas dão sensação de maior saciedade, e você não precisa contar calorias.

As desvantagens

Tudo ótimo em teoria, mas há várias maneiras de abusar da receita. Várias dietas se baseiam em fatos cientificamente comprovados, mas as pessoas tendem a se agarrar às partes convenientes, abrindo mão do bom senso. As dietas cetogênicas deram origem a um sem número de sites, especialmente na comunidade dos fisiculturistas. E alguns deles me causam arrepios. Concentrar-se em gordura e proteínas leva algumas pessoas a achar que o negócio é se alimentar de bacon. Mas o bacon e outras carnes processadas são consideradas cancerígenas, por levarem a um risco mais elevado de câncer no intestino. E, já que estamos falando disso, dietas com alto teor de fibras são uma boa proteção contra o câncer no intestino e outras doenças. Já comemos muito menos que as 30 gramas diárias de fibra recomendadas – e muitas das dietas cetogênicas que vejo por aí incluem pouquíssimas fibras.

Muita gente desiste das dietas cetogênicas quando a balança não mostra grandes alterações. Será que essas pessoas estão exagerando na gordura? A ideia é comer mais gordura em relação aos seus requerimentos energéticos, não comer muita gordura. A dieta cetogênica não significa comer gordura à vontade.

Os problemas

Além de justificar uma alimentação pouco balanceada com base no mantra "poucos carboidratos, muita gordura", as dietas cetogênicas levam algumas pessoas a atitudes extremas. Elas ficam obcecadas com os níveis de cetose. Como tudo o que tem a ver com o corpo, se você exagerar, ele vai responder à altura – seja driblando seu comportamento extremo ou ficando doente.

E não podemos deixar de falar dos suplementos para aumentar a cetose ou então repor os déficits nutricionais de uma dieta cetogênica malfeita. Suplementos de vitaminas e minerais em geral não são necessários se você se alimenta bem. E suplementos para cetose provavelmente não são regulamentados, ou seja, você pode estar ingerindo algo que não faz efeito – ou que faz mal.

Por fim, quem quer ficar por perto de um fanático das dietas? A vida pode virar um inferno se você ficar controlando a alimentação nos mínimos detalhes. Comer bem significa curtir a vida – não administrá-la.

Então, se você realmente quer melhorar sua saúde com uma dieta cetogênica, não substitua o açúcar e os carboidratos processados por carnes baratas e cancerígenas e gorduras calóricas além do que pede seu corpo. Tampouco deixe de lado as fibras e os alimentos ricos em vitaminas.

Não tome suplementos que não foram testados. E não troque a obsessão pela balança e pela contagem de calorias por uma obsessão com níveis de corpos cetônicos e gramas de carboidratos. Lembre-se: cuidar da saúde e controlar o peso significa muito mais que escolher o que você vai – ou não vai – comer!

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost UK e traduzido do inglês.