OPINIÃO
12/02/2015 14:37 -02 | Atualizado 29/09/2017 19:25 -03

"'50 tons de cinza' é muito fraco", diz dominatrix francesa de 83 anos

A estreia do filme '50 tons de cinza' promete levar milhares de pessoas ao cinema, principalmente mulheres em busca dos segredos do mundo sadomasoquista. Mas, discordando do livro de E. L. James, a mais famosa dominatrix da França diz: "Esse é um conto de fadas mal escrito e muito mole - bondage real é extremamente mais gratificante."

Getty Images
French writer Catherine Robbe-Grillet poses at her home in Neuilly-sur-Seine, near Paris, on June 12, 2014. AFP PHOTO / JOEL SAGET (Photo credit should read JOEL SAGET/AFP/Getty Images)

A estreia do filme 50 tons de cinza promete levar milhares de pessoas ao cinema, principalmente mulheres em busca dos segredos do mundo sadomasoquista. Discordando do livro de E. L. James, a mais famosa dominatrix da França diz: "Esse é um conto de fadas mal escrito e muito mole - bondage real é extremamente mais gratificante."

Em uma entrevista exclusiva em sua casa de Paris, a dominatrix de 83 anos Catherine Robbe-Grillet insistiu que não havia "nada de anormal sobre seu estilo de vida", em que ela "dedica-se ao prazer" com sua companheira submissa Beverly Charpentier, de 51 anos. O casal está junto há sete anos, desde a morte do marido de Mistress Catherine.

Conhecidas mundialmente, as sessões consensuais de bondage da Mistress são fortes. Madame Robbe-Grillet muitas vezes é comparada a uma versão feminina do Marquês de Sade, aristocrata francês do século 18 que era famoso por seu estilo de vida libertina.

Madame Robbe-Grillet é uma velhinha encantadora - qualquer um amaria tê-la como avó -, mas ela é conhecida por ter perfurado e cortado pessoas, as coroado com espinhos e acorrentado-as nas paredes. "'50 tons de cinza' é um conto de fadas romântico por comparação", disse Madame Robbe-Grillet. "É literatura romântica - efetivamente a história de um homem poderoso e sua aventura amorosa".

"Idade não deve ser obstáculo para qualquer coisa na vida, muito menos sexo - Eu sou tão feliz e realizada aos 80 anos como eu estive em qualquer momento da minha vida."

O casal se conheceu mais de 20 anos atrás. Madame Charpentier se apaixonou por Madame Robbe-Grillet 'instantaneamente', em meados da década de 1990, quando eles se encontraram no evento embaixada no México.

Sobre A Mistress, Charpentier disse em entrevista à Vanity Fair: "A partir do momento em que a conheci, fiquei obcecada por ela. Eu queria estar com ela." Isso era novidade para a submissa, já que ela disse nunca ter sentido atração por outras mulheres antes. Então, uma noite, "eu vi quando ela colocou a mão na parte de trás do pescoço de um submisso, e eu percebi que naquele momento eu queria que fosse meu pescoço". Madame Charpentier reitera sua descrição da Madame Robbe-Grillet como 'meu jardim secreto ", dizendo:" Seu prazer é o meu prazer ".

Depois de anos de amizade elas se tornaram amantes. No dia 5 de maio de 2005, Madame Charpentier escreveu um "juramento de lealdade" à Maîtresse, onde declarou: "Madame, você não me pediu nada; é, portanto, de minha própria vontade que eu ofereço-lhe fidelidade, obediência e lealdade. Juro para atendê-la fielmente em todas as coisas grandes e pequenas, a obedecer suas ordens, realizar seus desejos, sejam eles quais forem."

Madame Charpentier termina a entrevista dizendo: 'Não há desavenças, Catherine está no comando de tudo'.

MAIS SOBRE '50 TONS DE CINZA':

Galeria de Fotos 50 Tons de Cinza, o filme Veja Fotos