OPINIÃO
13/02/2015 18:46 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Tomie, notas sobre uma artista ímpar

Muitas saudosas menções e palavras de despedida serão elaboradas em honra da artista Tomie Ohtake, que nos deixou, aos 101 anos. Figura das mais queridas e respeitadas na arte brasileira, Tomie realizou uma obra potente e icônica para todos nós, que podem desfrutar de seu generoso entendimento do papel da arte, pelas inúmeras obras públicas a que a artista se dedicou ao longo da vida.

divulgação

Muitas saudosas menções e palavras de despedida serão elaboradas em honra da artista Tomie Ohtake, que nos deixou, aos 101 anos. Figura das mais queridas e respeitadas na arte brasileira, Tomie realizou uma obra potente e icônica para todos nós, que podem desfrutar de seu generoso entendimento do papel da arte, pelas inúmeras obras públicas a que a artista se dedicou ao longo da vida.

Entre as diversas qualidades que podem ser oferecidas à memória de Tomie, escolho aqui falar da ética - nobreza de caráter percebida tanto em sua obra quanto em sua vida privada. Nas diversas adaptações que vivenciou - a mudança de seu Japão natal para o Brasil, o ingresso na vida artística já adulta, as experimentações e transições em sua própria obra - Tomie sempre soube manter-se fiel aos seus princípios e convicções, norteados por um caráter humano exemplar. Seu legado, portanto, une não apenas o vasto conjunto de trabalhos realizados pela artista, mas uma família igualmente sensível e comprometida com a arte e a cultura em nosso país. Aos amados filhos - Ruy e Ricardo - seus ensinamentos mais profundos e humanos constituem a herança que ora zelam e guardam - fruto que também alimenta aqueles que tomam contato com a perene obra de Tomie.