THE_BLOG

93 anos: Muito jovem!

Sua contribuição em questões ligadas à cultura e educação assim como sua leitura do mundo atual e as contradições da contemporaneidade o transformam numa voz viva e atuante e que se desdobra num importante alerta para todos os que atuam neste conturbado cenário internacional.
This post was published on the now-closed HuffPost Contributor platform. Contributors control their own work and posted freely to our site. If you need to flag this entry as abusive, send us an email.

Há alguns dias, passando por São Paulo, a caminho de Paris, meu caro e dileto amigo Edgard Morin me deu o enorme prazer e alegria de encontrar-se comigo por algumas horas. Nos tempos de hoje, no alto de seus 93 anos, é uma das referências do pensamento humanista. Sua contribuição em questões ligadas à cultura e educação assim como sua leitura do mundo atual e as contradições da contemporaneidade o transformam numa voz viva e atuante e que se desdobra num importante alerta para todos os que atuam neste conturbado cenário internacional: a imersão da direita na França e na Europa, o Oriente Médio em permanente ebulição, as relações complexas entre os países da Europa do leste, os quadros mais próximos das transformações socioeconômicas por que passa a América Latina, especialmente o Brasil e o titubeio hesitante da ação norte americana nestes contextos.

A perspectiva deste pensador lúcido e generoso é sempre a busca de um caminho da solidariedade e da percepção da enorme diversidade existente, muito mais como fonte de solução do que empecilho para o entendimento. Coerência e retidão nos tempos heroicos da resistência durante a ocupação alemã na II Guerra. Colaborador firme e seguro na reforma do ensino na França e mais recentemente repercute e reverbera as amplas e extraordinárias afirmações do manifesto de seu amigo e companheiro de lutas Stéphane Hessel (já falecido), que conclama os jovens de toda parte a "indignar-se" contra o mundo tremendamente injusto e anti-solidário. Escreveram juntos textos sobre as necessárias reformas no mundo, em todos os campos, especialmente na saúde (O Caminho da Esperança).

Nesta ocasião do nosso encontro em São Paulo, Morin vinha de uma participação em seminário no Rio de Janeiro onde defendeu uma revisão profunda dos sistemas educacionais, visando fundamentalmente uma sociedade mais humana e solidária. As questões relativas à nova escola propostas por Morin, vão muito além das formas de transmissão de conhecimento e desenvolvimento de um bom processo de ensino, mas a inserção na sociedade de modo estrutural e permanente, os princípios de justiça, respeito ao meio ambiente e à enorme diversidade humana. Utopia? Não creio em outra saída.

Vida longa, caríssimo amigo.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

TAMBÉM NO BRASIL POST:

Idosos Tatuados