OPINIÃO
09/03/2016 17:27 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:34 -02

Está entediado? Que ótima notícia!

Precisamos reaprender a conviver com o tédio. Vamos parar de evitá-lo procurando refúgio no smartphone, comprando coisas novas, comendo ou fazendo qualquer coisa para "preencher o vazio". Não vamos mais confundi-lo com fracasso como se você precisasse estar fazendo coisas legais o tempo inteiro. O tédio faz parte da vida e pode ser uma coisa boa. Significa que nada de terrível está acontecendo.

Christoph Hetzmannseder via Getty Images
Bored student sitting in university lecture hall.

Eu trabalho com mídias sociais, de forma que estou sempre atenta ao que as pessoas dizem nas redes, investigando possíveis tendências, sintomas e fenômenos. Ultimamente, percebi que a palavra "vazio" está crescendo entre nós.

"Sinto um vazio que não sei de onde vem", "compro para preencher um vazio", "como demais para compensar um vazio", "passo todo o fim de semana no Netflix para ocupar o vazio da minha vida". Fiquei encucada com isso e me perguntando por que as pessoas estão se sentindo tão vazias.

Há muitas respostas possíveis, mas aqui vai uma teoria: será que este peito oco não está apenas sofrendo de tédio? Nós desaprendemos a viver com o tédio. Quem tem um smartphone ao alcance das mãos não sente mais tédio.

Só ele salva a fila dos correios, o longo trajeto do ônibus, a espera no consultório médico. Conheço gente que leva o celular até para o banheiro para se distrair no Instagram enquanto faz cocô. Sentada na privada, navega por fotos de pessoas se divertindo e levando vidas interessantíssimas. É quase uma metáfora de como você se sente.

Os aplicativos aos quais você recorre sempre que tem um minutinho livre preenchem o seu tempo, mas não a sua vida. Você vai continuar sentindo o tal vazio, todo mundo vai, porque faz parte da vida. Afinal, ela é feita exatamente disso: há momentos em que coisas especiais acontecem, há fases difíceis, mas, na maioria do tempo, é só rotina mesmo. Vida que segue.

O problema é que hoje nós não aceitamos mais "o vazio" da vida normal. O tempo todo alguém que a gente conhece está realizando algo incrível no Facebook. A Ana cortou o cabelo, o André viajou para a Tailândia, o Felipe e a Camila estão super apaixonados.

Estamos o tempo todo recebendo mensagens de como o seu dia poderia estar sendo melhor e não está. Isso gera expectativas irreais sobre as nossas vidas. Sabe a idealização inatingível dos corpos? Tipo isso, só que pior. Porque não faz você se sentir mal apenas com a sua barriga, mas com a sua vida inteira.

Quando o seu dia estiver meio vazio, lembre-se de que não precisamos preenchê-lo com nada. 90% da vida é composta por dias assim. Até mesmo as situações fantásticas são rapidamente convertidas em normalidade porque é assim que funciona o nosso cérebro. Tudo na vida é potencialmente entediante. É possível, inclusive, que neste momento, o Oscar do DiCaprio já o tenha entediado.

Precisamos reaprender a conviver com o tédio. Vamos parar de evitá-lo procurando refúgio no smartphone, comprando coisas novas, comendo ou fazendo qualquer coisa para "preencher o vazio". Não vamos mais confundi-lo com fracasso como se você precisasse estar fazendo coisas legais o tempo inteiro. O tédio faz parte da vida e pode ser uma coisa boa. Significa que nada de terrível está acontecendo. É motivo para comemorar!

LEIA MAIS:

- Que em 2016 o Whatsapp seja bloqueado mais vezes

- Pare de brigar contra a evolução da linguagem das mensagens de texto. Ponto.

Também no HuffPost Brasil:

Galeria de Fotos Você sabe que é viciado em redes sociais quando... Veja Fotos