OPINIÃO
28/03/2016 17:27 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:53 -02

3 tesouros que eu aprendi sobre dietas

A minha última consulta na nutricionista começou com alguém que queria "perder uns quilinhos" e terminou com uma lista enorme de proibições. A partir dali eu teria que me despedir para sempre do mate gelado porque tem açúcar e do bolo de limão porque tem glúten e sobreviver a base de alimentos funcionais, como batata doce e ovo cozido. Saí do consultório e rasguei o programa alimentar em dois pedaços de papel inúteis.

Rafael Elias via Getty Images
Natural portrait of pretty young woman eating seme fruit in an outdoor restaurant.

A minha última consulta na nutricionista começou com alguém que queria "perder uns quilinhos" e terminou com uma lista enorme de proibições. A partir dali eu teria que me despedir para sempre do mate gelado porque tem açúcar e do bolo de limão porque tem glúten e sobreviver a base de alimentos funcionais, como batata doce e ovo cozido.

Saí do consultório e rasguei o programa alimentar em dois pedaços de papel inúteis. Era só mais uma dieta restritiva com os alimentos must have do momento. Compreender isso me fez aprender algumas coisas sobre dietas, que vou dividir aqui com vocês:

1. Não faça dietas.

Por que existe sempre uma nova dieta da moda? Para substituir a última, que não funcionou. Elas recentemente estão sendo chamadas de "reeducação alimentar" para disfarçar o fato de que são dietas restritivas, que estragam a nossa relação com a comida. As coisas são proibidas por um momento (quando você está de dieta) e liberadas no momento seguinte (quando você inevitavelmente cansou da dieta e voltou a comer "normal"). Criando um ciclo infinito de efeito sanfona.

A nutricionista francesa Sophie Deram diz, inclusive, que o cérebro não fica feliz quando você emagrece. Pelo contrário, ele fica estressado porque acha que emagrecer não é um bom sinal e faz de tudo pra você voltar a engordar: aumenta a sua fome, desacelera o metabolismo e rapidamente você recupera os quilos que perdeu - ou talvez mais. E aí nos sentimos um ser miserável sem força de vontade, que não merece aquele corpo maravilhoso e por isso vai se afundar em sorvete. Ou começar outra dieta. Já viu esse filme?

Existe uma epidemia de obesidade? Sim. Mas parece que as dietas não estão ajudando. Há estudos que indicam que as dietas são as principais causas de distúrbios alimentares e podem estar piorando a obesidade no mundo.

2. Tenha hábitos saudáveis.

Estou chamando de "hábitos saudáveis" duas coisas: comer bem e não ser sedentário. Não se trata de "fechar a boca e fazer exercícios", mas de procurar melhorar a sua qualidade de vida de modo geral. Por exemplo, "comer bem" é comer com vontade, fazendo disso um momento agradável no dia. Não é a ração da dieta e também não é junkie food. A recomendação da Sophie é procurar sempre consumir alimentos variados e verdadeiros (não industrializados) e aprender a cozinhar. Essas duas coisas já vão dar conta de uma nutrição saudável.

O sedentarismo é um problema sério. Mata tanto quanto o cigarro e mais do que a obesidade. Mas você não precisa continuar gastando dinheiro com a mensalidade da academia que você não vai. Cada um tem interesses próprios na vida e ninguém é obrigado. É possível encontrar uma atividade física que você goste: caminhadas ao ar livre, bike, corrida, dança, qualquer coisa que traga prazer e tire você do sofá.

3. Ame-se.

Essa é a parte mais difícil em uma sociedade que lucra com as nossas inseguranças. É preciso muita coragem. Há poucos profissionais realmente preocupados com a sua saúde. Há muitos preocupados com o seu peso e beleza. Um exemplo é a nutricionista do começo do texto, que não questionou por que uma pessoa saudável, sem alergias alimentares e dentro do peso normal queria emagrecer. No fundo, ela também achava que eu "precisava emagrecer uns quilinhos" e proibiu uma lista de alimentos para que eu atingisse o objetivo. Porque não basta estar dentro do IMC, tem que estar perto do limite mínimo, o mais magra possível. E isso não só é insustentável, como é muito triste.

No fundo, não importa em qual ponto da régua do IMC você se encaixa. Se você não está no padrão e está infeliz, isso movimenta muitos mercados. Então, aqui estão os três tesouros que eu aprendi sobre dietas: não faça, tenha hábitos saudáveis e ame-se.

O resto, foda-se.

Para ler: O peso das dietas, Sophie Deram.

LEIA MAIS:

- Que em 2016 o Whatsapp seja bloqueado mais vezes

- Está entediado? Que ótima notícia!

Também no HuffPost Brasil:

Galeria de Fotos Dietas de 2013 Veja Fotos