OPINIÃO
07/03/2014 18:55 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:12 -02

Tu é solteira?

Réveillon, praia deserta no meio da Amazônia. Me afasto do grupo de amigos viajantes para contemplar o céu estrelado e fazer a última meditação do ano. De olhos bem fechados, respiro profundamente, recito mantras, faço meus pedidos para o novo ano e entro em comunhão com o universo. De repente, surge uma luz no meu rosto, abro os olhos e vejo um jovem com uma lanterna me perguntando com um sotaque típico da região: "Tu é solteira?" Não me mexi (embora tivesse pensado rapidamente em correr ou gritar), apenas olhei o sujeito que caminhava e repetia sem parar: "Tu é solteira? Tu é solteira?" e continuou jogando a luz da lanterna para o meu lado. Me levantei, não antes de protestar com o universo, e achei mais prudente voltar para perto da turma.

O fato foi que lá no meio da Amazônia eu recebi uma espécie de "cantada"? Ou uma facada no peito com essa pergunta: "Tu é solteira?"

Poderia ter respondido para o cara, mas fiquei em silêncio e contei o fato para os amigos como uma piada. Mas isso não tem graça, isso é muito chato, preconceituoso e repetitivo.

Outro dia uma vizinha curiosa veio com essa: "Você é tão bonita e não namora ninguém?"

E na mesma semana eu soube que uma amiga resolveu mudar o status no facebook de solteira para casada apenas para parar de receber convites, mensagens indiscretas e cantadas e acabou recebendo uma enxurrada de congratulações pelo casório. Mas, observe: quando alguém muda o status de casada para solteira não há comemoração, nem parabéns e tampouco curtidas.

O pior é acabamos tropeçando em preconceitos e julgamentos que podem ser algo do tipo: "se ela está sozinha é porque deve ser chata, pegajosa, mal humorada, deprimida, surtada, não soube manter o casamento, não tem capacidade de arranjar um namorado, etc e tal..." E, por que pensamos assim? Cultura antiga? Algo enraizado e carregado de geração em geração?

Não tenho respostas. Tenho apenas uma certeza: uma mulher solteira é um ser humano como qualquer outro e tem o direito de seguir sozinha ou acompanhada, de acordo com a sua vontade e ser livre de preconceitos e julgamentos.

Se eu sou solteira? Sim, sou solteira no Facebook, nas redes sociais e no momento estou muito bem assim. E tenho a liberdade de escolher meu status aqui ou no Facebook. Pode ser uma verdade, uma semi-verdade ou uma mentira, que diferença isso faz? Um status, uma escolha, uma resposta ou um momento de vida não fará de mim uma mulher diferente ou melhor. Eu sou o que eu sou.

Post inspirado no fato real da minha viagem para Amazônia no final de 2013 e neste artigo.