OPINIÃO
11/10/2014 11:21 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:04 -02

A saga para encontrar um espremedor de limões (e a falta de noção dos brasileiros)

Dzhamiliya Ermakova via Getty Images

Eu só queria um espremedor de limões. Desses manuais mesmo, sabem? Põe meio limão no meio, aperta a alavanca e sai o suco pelos buraquinhos. Joga o bagaço no lixo e recomeça-se o processo. Uma mera alavanca.

Vou ao supermercado. Seção de "utilidades" domésticas. Ebulidor, pegador de escargot, descascador de camarão... opa! Será que estou no mercado certo? Tem até um adorável jogo de saleiro e paliteiro feito de bambu e vendido a módicos... R$ 80!?

preço

Começo a achar que fui parar no programa "Mulheres Ricas". Lá não encontro meu espremedor de limões.

Tento a mesma busca em cinco diferentes supermercados. Neca. Encontro as "utilidades" mais inúteis do mundo, as quais nunca nem sequer pensei em ter para viver (pra que um "mexedor de sucos" todo enfeitado se eu tenho uma boa e velha colher?), mas nada de achar meu espremedor de limões.

Um surto me faz entrar numa dessas lojas em que se vende colherinha de café por R$ 15. Pensei: Oras, aqui tem tudo, e não é possível que o espremedor seja tão caro assim. Às vezes eu pago um pouco mais do que estava querendo, mas será de melhor qualidade, etc etc.

Eis que encontro o espremedor. Meio plástico (ou acrílico), verde-limão, meio aço-inox. Marca X (nunca ouvi falar, de todo modo). Chutem o preço? Quase caí para trás quando li a etiqueta:

- R$ 114 por um espremedor de limões?!

Saí fugida dali. As pessoas enlouqueceram, é só o que consigo pensar.

Aí, já na rua, junto com os demais "sãos" do mundo, ouço falar de chá-de-fraldas com buffet que custou R$ 20 mil. Festinha para crianças de 1 ano ao preço de R$ 50 mil. E lembro do passeio surreal que fiz pelo shopping de luxo JK Iguatemi, em São Paulo, para uma reportagem, em que vi uma maleta de madeira ser anunciada na etiqueta por R$ 300 mil. Isso mesmo, contei os zeros. Um apartamento ou uma mala?

O problema não é um espremedor de limões ser vendido a R$ 114. O problema é que, se ele é vendido a esse preço, há quem o compre. Falta noção a algumas pessoas, que têm dinheiro sobrando.

Segundo a "Forbes", o Brasil bateu seu recorde de bilionários. A economia brasileira tem ido melhor que a do resto do mundo mesmo (embora isso não signifique que ela ande bem das pernas, com crescimento de 2,3% em um ano). Mesmo com redução de miseráveis e ascensão da "classe C", a desigualdade continua gritante. No Brasil de 2013, havia 46 bilionários e mais de 16 milhões na miséria. E há os que vivem entre a miséria e os bilhões, um caldo de 174 milhões de pessoas, que podem optar por gastar R$ 114 num espremedor de limões ou gastar esse dinheiro em algo mais útil.

Meu sonho é que, em algum dia, o Brasil descubra um jeito de crescer ao mesmo tempo em que a desigualdade diminui e a noção de seus habitantes é recuperada.

PS. Achei meu espremedor no mercadão de BH, a R$ 5.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.


VEJA TAMBÉM NO BRASIL POST:

11 frustrações na cozinha - e como evitá-las!