OPINIÃO
13/11/2014 16:12 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:46 -02

Gentileza gera gentileza

Nesse ritmo alucinante que nos permitimos vivenciar o dia a dia, até o ser mais zen perde a cabeça quando não deveria.

www.jupiterimages.com

Quem nunca perdeu a cabeça na frente do filho dentro do carro e foi grosseiro, gratuitamente, com um pedestre ou com outro motorista?

Nesse ritmo alucinante que nos permitimos vivenciar o dia a dia, até o ser mais zen perde a cabeça quando não deveria.

Então por que não nos adestrarmos para praticar a gentileza? Em casa, principalmente quando ouço alguma grosseria, repito como um mantra, até para mim mesma afinal sou humana: gentileza gera gentileza.

E como somos exemplo para nossos filhos, se praticamos isso, pode ser, que lá na frente teremos seres humanos melhores, menos agressivos e uma sociedade mais humanizada.

O que costumo observar é que, hoje, quem pratica a gentileza é quase considerado, ou tratado em alguns casos, como otário. Em vez das pessoas concentrarem suas energias em ser gentil com o próximo, o 'normal' é fazer a pessoa gentil se sentir otário.

Dar passagem para o outro motorista, esperar o pedestre passar, ceder o lugar para alguém com criança no colo, dar bom dia, não para em fila dupla na porta da escola, falar obrigado e pedir por favor não características de um otário. Mas de um cidadão que sabe viver em sociedade e prática isso diariamente.

Porém, como você vai ensinar isso ao seu filho se você não praticar essas pequenas atitudes, agindo sempre da forma adequada?

Claro que isso não é simples, mas exige perseverança. Se o seu filho, de qualquer idade, não vê a prática da gentileza como você imagina que ele vai aprender?

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.