OPINIÃO
14/05/2014 10:14 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:36 -02

Virada Cultural 2014: 16 shows que merecem a sua atenção

Mais difícil do que qualquer grande festival de música no Brasil é se organizar dentro da programação da Virada Cultural em São Paulo. Se você já foi ao evento, então já sabe: 24 horas é um tempo muito curto para desfrutar de todas as atrações espalhadas pelos diversos palcos, tendas e espaços preparados para o evento. Como nas edições anteriores, shows de Rock, MPB, Pop, Hip-Hop e Eletrônica, além de uma maratona de filmes, peças de teatro, dança, ambientes gastronômicos e diferentes aspectos culturais se misturam em meio aos prédios da capital paulista. Em uma tentativa de catalogar apenas as melhores apresentações da Virada Cultural 2014, selecionei 16 shows que merecem a sua atenção.

Mais difícil do que qualquer grande festival de música no Brasil é se organizar dentro da programação da Virada Cultural em São Paulo. Se você já foi ao evento - que este ano acontece entre os dias 17 e 18 de maio -, então já sabe: 24 horas é um tempo muito curto para desfrutar de todas as atrações espalhadas pelos diversos palcos, tendas e espaços preparados para o evento. Como nas edições anteriores - a virada acontece desde 2005 -, shows de Rock, MPB, Pop, Hip-Hop e Eletrônica, além de uma maratona de filmes, peças de teatro, dança, ambientes gastronômicos e diferentes aspectos culturais se misturam em meio aos prédios da capital paulista.

Em uma tentativa de catalogar apenas as melhores apresentações da Virada Cultural 2014, selecionei 16 shows que merecem a sua atenção. Do Indie ao Jazz, do Funk Carioca ao Afrobeat, cada apresentação concentra o aspecto específico da maratona, que exige um preparo físico muito maior do que qualquer Lollapalooza ou Rock In Rio da vida. Escolha o calçado confortável, durma bem na noite anterior, controle a bebida e divirta-se com a boa música.

Atração: Ira!

Gênero: Rock

Local: Palco Júlio Prestes

Horário: 18:00 (17)

Sete anos depois dos conflitos internos que levaram ao fim do Ira!, o guitarrista Edgard Scandurra e o vocalista Nasi fizeram as pazes para trazer o grupo veterano de volta ao grande público. Além da dupla, Johnny Boy (guitarra/teclado), Evaristo Pádua (bateria) e Daniel Rocha (baixo) sobem ao palco para resgatar clássicos antigos e recentes do grupo paulistano. Além de faixas conhecidas do repertório da banda, caso de Mudança de Comportamento, Tolices e Longe de Tudo, Nasi e Scandurra prometem algumas canções inéditas, passagem para a nova turnê que a banda inicia em 2014. A mais paulistana das bandas na abertura do mais paulistano dos eventos culturais, nada mais justo.

Atração: Juçara Marçal

Gênero: MPB/Experimental

Local: Palco Barão de Limeira

Horário: 20:00 (17)

É de Juçara Marçal a responsabilidade em abrir as apresentações do Palco Barão de Limeira. Com o recém-lançado Encarnado, primeiro registro solo, figurando entre os grandes registros de 2014, a também integrante do Metá Metá deve levar ao público as canções obscuras que abastecem o repertório do disco. Desenvolvido em cima de versões para músicas de Tom Zé, Itamar Assumpção, além, claro, de adaptações de faixas escritas por colaboradores próximos, caso de Kiko Dinucci e Romulo Fróes, Marçal é uma das atrações essenciais da presente edição da Virada Cultural. Na dúvida, baixe o disco (gratuito) e chegue preparado para o repertório denso da cantora.

Atração: Baby do Brasil

Gênero: MPB/Rock

Local: Palco Júlio Prestes

Horário: 21:00 (17)

Desde 2012, quando voltou a se apresentar com o repertório conquistados nas décadas de 1970 e 1980, Baby do Brasil fez do espetáculo "Baby Sucessos" um dos shows mais disputados da cena nacional. Ao lado do filho, o músico Pedro Baby, a cantora passeia por entre obras clássicas da fase solo, caso dos discos O Que Vier Eu Traço (1978) e Canceriana Telúrica (1981), bem como registros apresentados ao lado dos Novos Baianos, vide a obra-prima Acabou Chorare (1972). Não faltam músicas como Menino do Rio, Tinindo Trincando e A Menina Dança, composições que devem embalar uma das apresentações mais concorridas da edição 2014 da Virada Cultural.

Atração: Bixiga 70

Gênero: Afrobeat/Jazz

Local: Palco Barão de Limeira

Horário: 22:00 (17)

Se você já viu uma apresentação do Bixiga 70 então sabe do que estou falando: é impossível ficar parado. Sem dizer uma só palavra, o coletivo paulistano atravessa a década de 1970 em meio a arranjos jazzísticos e totalmente dançantes. São faixas como Kalimba, Kriptonita e Grito de Paz, composições que alimentam os dois bem recebidos trabalhos em estúdio da banda - um de 2011, e outro lançado em 2013. Miles Davis, Fela Kuti, trilhas sonoras de clássicos da Blaxploitation e uma pitada considerável de ritmos nortistas, todas essas referências coloridas abastecem a temática da banda, que mantém um pé bem firme no Brasil, e outro nas heranças africanas. Quer dançar em pleno sábado à noite? Então corra para o Palco Barão de Limeira. Não gosta do trabalho da banda? O Palco Líbero Badaró reserva o show do Silva que também é bom.

Atração: Tati Quebra Barraco

Gênero: Funk carioca

Local: Palco Arouche

Horário: 01:00 (18)

Desculpem os cabeçudos, mas 01h da manhã você não está no clima de ver Mart'nália, tampouco Alice Caymmi, é hora de descer até o chão, rebolando ao som de Tati Quebra Barraco. Representando a "diversidade" do Palco Arouche, que ainda reserva nomes como Roberta Miranda, Falcão e Rosanah, a funkeira carioca deve resgatar alguns sucessos e clássicos conquistados ao longo da carreira. Espere para ouvir Frango Assado, Dako é bom e Matemática. Vale lembrar que Boladona, registro mais importante da carreira de Quebra Barraco, celebra uma década de lançamento em 2014, logo, mais um motivo para você mergulhar no inferninho paulistano.

Atração: Marcelo Jeneci

Gênero: Indie/Pop

Local: Palco Líbero Badaró

Horário: 02:00 (18)

Ponto de encontro para hipsters, indies e moderninhos, o palco Libero Badaró concentra em sua programação alguns dos nomes mais relevantes da cena alternativa brasileira. Alavancado por Mariana Aydar, Silva e o veterano Guilherme Arantes, o palco deixa reservado para as duas da manhã sua maior atração: o cantor Marcelo Jeneci. Dono de uma das apresentações mais concorridas de outras edições da virada cultural - em São Paulo ou mesmo em outros pontos do país -, o músico chega para apresentar o repertório do último registro em estúdio de sua carreira, De Graça (2013). Claro que faixas do doce Feito para Acabar, de 2010, também devem abastecer a apresentação, que mistura ritmos regionais, pop e boas melodias.

Atração: Gang do Eletro

Gênero: Tecnobrega

Local: Palco Arouche

Horário: 03:00 (18)

Três horas da manhã e você ainda está com a disposição em alta? Ora, corra para o Palco Arouche e dance (sem parar) ao som da Gang do Eletro. Ainda que o repertório da apresentação seja abastecido pelas faixas que recheiam o disco de estreia dos paraenses, lançado em 2013, canções apresentadas desde os primeiros anos do grupo devem animar a plateia. Aos comandos do produtor DJ Waldo Squash, Marcos Maderito, Keila Gentil e William Love se revezam nos vocais, dando vida e ritmo aos versos de Velocidade do Eletro, Piripaque e Só no Charminho, algumas das composições mais pegajosas da banda. Se você não gosta do estilo da banda, vale lembrar que Cidadão Instigado interpreta Dark Side of The Moon, do Pink Floyd no palco Rio Branco, no mesmo horário.

Atração: Karina Buhr

Gênero: MPB/Alternativo

Local: Palco Líbero Badaró

Horário: 04:00 (18)

A insanidade e o ritmo frenético do show de Karina Buhr são componentes mais do que indicados para espantar o sono de quem ficou em pé até as quatro horas da manhã. Caso siga a proposta de suas apresentações, a cantora pernambucana deve se enforcar com o cabo do microfone, correr de um canto a outro, trepar na estrutura metálica do palco e ainda se arrastar pelo chão - tudo isso enquanto mantém firme a voz e os versos matemáticos da canções. Com dois bons registros na bagagem - Eu Menti Pra Você (2010) e Longe de Onde (2011) -, Buhr e os parceiros de banda devem se dividir entre a MPB, o Pop e o Rock, lançando faixas como Cara Palavra, A Pessoa Morre e Ciranda do Incentivo.

Atração: Filipe Catto

Gênero: MPB

Local: Palco Líbero Badaró

Horário: 06:00 (18)

Os primeiros raios de sol já devem estampar o céu de São Paulo quando Filipe Catto subir ao palco do espaço Líbero Badaró. Para quem reclama das apresentações sempre lotadas do artista ou dos ingressos que esgotam em questão de minutos em suas passagens pelo SESC, a performance na manhã de domingo deve funcionar como um presentinho para o público. Mesmo que a apresentação se concentre no repertório do disco Entre Cabelos, Olhos e Furacões, lançado há poucos meses, Catto (tradicionalmente) deve mergulhar em algumas canções que apresentaram seu trabalho com o disco Fôlego, de 2011. Sem dúvidas, uma boa maneira de começar o dia.

Atração: Guizado interpreta On The Corner, de Miles Davis

Gênero: Jazz

Local: Palco Rio Branco

Horário: 09:00 (18)

No começo da manhã você pode até dar uma passada na feirinha gastronômica do Minhocão e se deliciar com o concorrido Chefs na Rua, mas não esqueça de correr para a apresentação de Guilherme "Guizado" Mendonça no Palco Rio Branco. Resgatando a performance originalmente lançada em 2012, para a comemoração dos 40 anos do disco On The Corner, de Miles Davis, o músico paulistano deve levar um pouco de Jazz para a manhã de domingo da Virada Cultural. Com "apenas" quatro faixas, o trabalho apresentado em 1972 deve ser pontualmente ressuscitado por Guizado, que ainda atenta para o improviso e os pequenos experimentos suingados que ocupam as bases da obra.

Atração: Tulipa Ruiz

Gênero: MPB/Pop

Local: Palco Líbero Badaró

Horário: 10:00 (18)

Já se passaram dois anos desde que Tulipa Ruiz apresentou ao público o último trabalho em estúdio, o adorável Tudo Tanto (2012), porém, ainda é tempo de mergulhar no repertório colorido da artista "paulistana". Além das faixas lançadas no segundo disco da cantora, Efêmera, álbum que apresentou Ruiz em 2010, deve ocupar grande parte da performance, que ainda se abastece de versões - como Da Maior Importância, de Caetano Veloso -, além de faixas apresentadas como single, caso da carnavalesca Megalomania, entregue no começo do ano. Depois do show você pode ainda permanecer no mesmo palco, afinal, logo em sequência é a vez de Marcia Castro tomar conta do Palco Líbero Badaró.

Atração: RZO

Gênero: Hip-Hop

Local: Palco Júlio Prestes

Horário: 12:00 (18)

Enquanto a edição 2013 da Virada Cultural foi marcada pela performance dos Racionais MC's no Palco Júlio Prestes, para a edição 2014 do evento a pluralidade guia o Hip-Hop em boa parte dos palcos. Ainda que Dexter, MV Bill e Projeto Nave (Marechal, Kl Jay, Síntese, SNJ, Ogi, Dexter) ocupem um espaço de mesma relevância, é do trio RZO uma das performances mais esperadas para o evento. Aos comandos de Sandrão, Helião e DJ Cia, a "Rapaziada da Zona Oeste" deve revisitar obras como Todos São Manos (1999) e Evolução é uma Coisa (2003), alguns dos trabalhos mais aclamados do grupo. No mesmo palco ainda se apresentam o cantor Luiz Melodia (15h) e o grupo estrangeiro Martha Reeves The Vandellas (18h).

Atração: Mercenárias

Gênero: Pós-Punk/Rock

Local: Palco São João

Horário: 15:00

>Mantendo firme a proposta em produzir palcos temáticos, em 2014 o espaço São João se transformou na grande morada do Rock. Além de atrações internacionais, como a banda britânica Uriah Heep e os californianos do Agent Orange, o palco será abastecido por toda uma variedade de grupos brasileiros. Entre as atrações que você precisa ver está o grupo Mercenárias, um dos mais importantes da cena paulistana dos anos 1980. Aos comandos de Sandra Coutinho, Geórgia Branco e Pitchu Ferraz, a banda deve trazer de volta à vida o repertório sombrio dos clássicos Cadê as Armas? (1986) e Trashland (1988), únicos trabalhos em estúdio do grupo.

Atração: Valesca Popozuda

Gênero: Funk Carioca

Local: Palco Arouche

Horário: 16:00 (18)

Valesca Popozuda talvez seja a artista nacional escolhida pela organização da Virada Cultural para "vender" o evento ao grande público. Com um show programado para as 16h de domingo no cult/trash palco Arouche, a cantora carioca vai tornar intransitável a área no entorno do evento, afinal, é ela quem vem estampando os anúncios e toda a divulgação em relação à maratona de shows em grande parte dos veículos de comunicação e redes sociais. Com o hit Beijinho No Ombro beirando 30 milhões de visualizações no Youtube, Valesca deve manter uma apresentação equilibrada, concentrando em pouco menos de uma hora de duração alguns de seus maiores clássicos, como Late Que Eu Tô Passando e Agora Sou Solteira. Se você pretende ficar perto do palco, um aviso: chegue cedo. Não gosta de funk? Sem problema, O Terno espera por você no Palco Líbero Badaró.

Atração: Céu interpreta Catch a Fire, de Bob Marley

Gênero: Reggae

Local: Palco Rio Branco

Horário: 17:00 (18)

O fascínio de Céu por Bob Marley nunca foi uma grande surpresa para quem acompanha o trabalho da artista. Basta voltar os ouvidos para a clássica interpretação de Concrete Jungle, uma das grandes composições do músico jamaicano e faixa que recheia o debut da paulistana, lançado em 2005. Mesmo a imposição autoral que recheia Vagarosa (2009) e Caravana Sereia Bloom (2012) não esconde a comunicação com a obra do músico, dissolvida nas emanações letárgicas que ocupam toda a produção da cantora. Para a apresentação no Palco Rio Branco - dedicado ao resgate de obras clássicas da música nacional e estrangeira -, Céu visita o repertório de Catch a Fire, disco de 1973 que serviu para consolidar a obra de Marley.

Atração: Apanhador Só

Gênero: Indie/Experimental

Local: Palco Líbero Badaró

Horário: 18:00 (18)

Para o encerramento da Virada Cultural 2014, os organizadores do evento investiram pesado. Do grupo de soul/R&B Martha Reeves & The Vandellas no Palco Júlio Prestes, aos exageros dramáticos de Roberta Miranda no Largo do Arouche, não faltam opções aos mais variados públicos. Entretanto, a boa forma do Apanhador Só obriga uma passagem pelo Palco Líbero Badaró. Com um dos shows mais disputados do circuito nacional desde o último ano, o coletivo gaúcho chega ao palco "indie" do evento para apresentar o repertório do útlimo trabalho em estúdio, o experimental/melódico Antes que tu conte outra (2013). Entre faixas como Despirocar e Não Se Precipite, músicas lançadas no primeiro disco da banda, de 2010, devem ocupar grande parte da apresentação.

Texto originalmente publicado no Blog Miojo Indie. Veja a lista completa com as atrações da Virada Cultural 2014.