Opinião

De scooter pela Ásia: é mais fácil do que você pensa

Carteira de motorista? Deveriam pedir, mas não pedem. Seguro? Depósito? Coisa rara. Gasolina? Baratíssima. Aluguel? A preço de banana. Fora o baixo custo, a scooter é excelente para explorar cidades, vilas, campos e praias já que te dá liberdade para escolher caminhos e se embrenhar por lugares de difícil acesso.

Isso mesmo: scooter, vespa, lambreta, motoca. Chame como preferir essas máquinas que são marca registrada de 9 entre 10 cidades asiáticas. Por serem baratas, leves e fáceis de manobrar dominam o trânsito por aqui e também fazem a cabeça de viajantes independentes. Mas será que explorar esse canto do mundo em cima de uma scooter cabe apenas aos mais aventureiros?

Dois anos e meio viajando por essas bandas me provaram que não. Para começar, alugar uma moto é tarefa bem fácil. Carteira de motorista? Deveriam pedir, mas não pedem. Seguro? Depósito? Coisa rara. Gasolina? Baratíssima. Aluguel? A preço de banana. Fora o baixo custo, a scooter é excelente para explorar cidades, vilas, campos e praias já que te dá liberdade para escolher caminhos e se embrenhar por lugares de difícil acesso. Um dia em cima de uma motinho dessas é a garantia de experiências totalmente imprevisíveis que serão as lembranças mais especiais da sua viagem. Então, quando na Ásia, faça como os asiáticos: suba numa moto e caia na estrada. Aqui vão algumas sugestões de destinos para você começar a planejar as próximas férias:

1) YOGYAKARTA, JAVA (INDONÉSIA)

Muitos dos que vão a Yogyakarta têm como objetivo principal ver o nascer do sol em Borobudur, o maior monumento budista do mundo. Só que Yogy vai muito além de Borobudur...

Os arredores da cidade são o retrato da Indonésia do nosso imaginário: plantações de arroz a perder de vista, pequenas vilas, crianças sorridentes e um emaranhado de estradinhas prontas para serem exploradas por você, sua scooter e mais ninguém. Um bom caminho é ir até ao famoso templo hindú Prambanam passando pela pequena cidade de Kaliurang, aos pés do vulcão Merapi. Imaginou? Pois é muito melhor! Tirando o trecho urbano na saída da cidade que tem um trânsito caótico, o resto da estrada é pura paz e um cenário difícil de esquecer.

2) LUANG PRABANG, LAOS

Andando pelas charmosas ruas de Luang Prabang você será abordado por agências oferecendo pacotes turísticos para te levar às cachoeiras, campo de elefantes ou a um passeio no rio. Agradeça, siga em frente e entre na primeira loja que tenha scooter para alugar e um bom mapa para vender.

De forma independente e muito mais prazerosa, é possível ir no seu tempo até Kuang Si e Tad Sae, duas belíssimas cachoeiras de água azul turquesa. A estrada está em boas condições e corta florestas e montanhas, oferecendo paisagens deslumbrantes durante todo o caminho (e muita sombra!). Com sorte você ainda terá a chance de dar carona à criançada voltando a pé da escola no fim do dia.

3) CHIANG MAI, TAILÂNDIA

Chiang Mai está cravada nas montanhas mais altas da Tailândia, logo não é surpresa que os arredores da cidade esbanjem uma natureza exuberante. Florestas, plantações de morango, rios e muito ecoturismo (ASSISTA!). Outra opção boa é percorrer os 15km montanha acima para visitar o templo sagrado de Wat Phra That, um dos mais famosos e reverenciados da cidade. Seja qual for seu caminho, espere um trânsito intenso na volta à área urbana, principalmente no fim do dia.

Caso você não se garanta na estrada, não se preocupe. Percorrer o centro histórico de Chiang Mai de scooter é bem tranquilo. Fique nessa área e aproveite para visitar os muitos templos budistas construídos na época da fundação da cidade há mais de 700 anos. Se o calor apertar (e vai apertar), pare para comer um bom pad thai antes de seguir para o próximo templo.

4) LAGO MANINJAU, SUMATRA (INDONÉSIA)

Em poucas horas é possível percorrer com tranquilidade toda a extensão do Maninjau, o enorme lago formado por uma cratera de vulcão em Sumatra, na Indonésia. Se você nunca se aventurou em cima de uma scooter, esse é um excelente lugar para começar. Nos arredores do lago não há nada além de vilas de pescadores, plantações de arroz, escolinhas e mesquitas, logo a estradinha é muito pouco movimentada. Prepare-se para sorrisos abundantes e olhares curiosos, já que turistas estrangeiros são raros por lá. Carregue a sua GoPro e garanta as imagens mais belas da sua viagem (duvida? ASSISTA AQUI)!

5) HO CHI MINH CITY, VIETNÃ

O trânsito no Vietnã é uma atração turística a parte. A horda de motocicletas, o barulho ensurdecedor das buzinas e a calma dos pedestres ao atravessar toda essa loucura são as lembranças mais marcantes de quem visita cidades como Ho Chi Minh e Hanoi. Como o Vietnã entrou nesta lista? Explico:

Embora não seja nem um pouco recomendável pilotar sua própria moto pela cidade, é possível dar um rolé de "mototaxi" na garupa de um local - passeio barato, seguro e divertido. Além disso, algumas agências oferecem tours de vespa para percorrer feiras de rua, bares e restaurantes noite a dentro. Programa imperdível para conhecer bairros menos turísticos e degustar a gastronomia local em ótima companhia.

6) KOH LANTA, TAILÂNDIA

Koh Lanta é uma das minhas ilhas preferidas na Tailândia. Subestimada e pouco visitada por brasileiros - que preferem as mais famosas e badaladas Phi Phi e Phuket - Lanta é o lugar ideal para você se arriscar nos primeiros passeios de scooter. A ilha, com seus 27km de comprimento, tem uma vibe muito tranquila que se reflete nas pessoas, na paisagem e no trânsito. As ruas são pavimentadas, seguras e pouco movimentadas. Você pode passar o dia pulando de praia paradisíaca em praia paradisíaca ou então visitar a quase cenográfica Lanta Old Town, parte antiga da ilha que ainda preserva casas tradicionais de palafitas na beira do mar, cafés charmosos e paz, muita paz.

Mas onde quer que seja sua aventura, vale lembrar:

O trânsito na Ásia não é fichinha. Pilotar na mão inglesa por si só já é um desafio. Além disso, os motoristas locais dirigem de uma maneira que até parece fazer sentido entre eles, mas com a qual nós turistas, definitivamente, não estamos acostumados. Evite caminhos muito movimentados e pesquise as condições da estrada. Se você não se sente seguro para pilotar uma scooter, NÃO PILOTE UMA. Arrume outro meio de transporte ou pule na garupa de alguém mais experiente. Evite os horários de pico e passeios noturnos. E porque não custa repetir o óbvio: NÃO CONSUMA DROGAS OU ÁLCOOL quando for pilotar!

Agora faça as malas, pegue seu capacete e boa viagem!


VEJA TAMBÉM:

Lugares para visitar antes que virem ‘hits'