OPINIÃO
13/04/2015 18:35 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Reorganização dramática da casa: o livro de Marie Kondo

Depois de ler o livro, eu fiquei inspirada para fazer algumas mudanças e seguir as regras de Kondo, pois ela diz que o nosso espaço afeta muito o nosso corpo, o humor e a produtividade. Seu argumento principal é que nós, como seres humanos, temos "coisas" demais e, como resultado, nosso bem-estar, que está vinculado aos nossos espaços, se torna bagunçado com um mínimo esforço.

shutterstock

Recentemente eu li o livro The Life-Changing Magic of Tidying Up: The Japanese Art of Decluttering and Organizing - que título! Eu estava interessada em ler o livro da autora japonesa Marie Kondo depois que eu ouvi que o seu best-seller internacional tinha vendido mais de 2 milhões de cópias, e que ela tinha uma lista de espera de 3 meses para os seus serviços de limpeza. Mas o que ela poderia me ensinar que iria mudar a minha vida?

Depois de ler o livro, eu fique inspirada para fazer algumas mudanças e seguir as regras de Kondo, pois ela diz que o nosso espaço afeta muito o nosso corpo, o humor e a produtividade. Ela recomenda uma reorganização dramática da casa para mudanças no estilo de vida e perspectiva.

Seu argumento principal é que nós, como seres humanos, temos "coisas" demais e, como resultado, nosso bem-estar, que está vinculado aos nossos espaços, se torna bagunçado com um mínimo esforço. A chave para a organização, portanto, é eliminar de nossas casas itens não utilizados e desnecessários que contribuem muito à desordem. No começo eu pensei em apenas reordenar a minha casa e ser mais inteligente sobre armazenamento. Mas a Kondo diz que as soluções de armazenamento são apenas veículos para bagunça, porque elas não resolvem o problema subjacente: pertences demais.

Como uma pessoa acumuladora por natureza, eu tenho muitos papéis, livros e objetos que guardo como memórias e tenho dificuldade em me livrar deles. Kondo aconselha a dar tudo o que não é necessário e não nos traz "alegria". Sim, ela fala que um objeto nos dá emoções e que só devemos nos cercar daqueles que acendem a felicidade. Nós não devemos manter qualquer coisa "apenas porque queremos". Na verdade isso é simples: cercar-se apenas com coisas que você ama. Pense em como seria agradável ter apenas coisas que amamos em casa.

Eu não tenho uma abundância de roupas no Brasil. Como me mudei para cá recentemente apenas com minhas malas, e queria desatravancar minha casa, decidi então experimentar o método! Comecei com papéis, objetos, utensílios de cozinha e também com um pouco de roupa. Ao final do processo (que Kondo argumenta que deve ser feito sozinho pois a presença de outras pessoas resulta em não se livrar de coisas o suficiente) eu tinha três bolsas de lixo cheias de "coisas" para doar ou jogar fora.

Uma vez que eu tinha me livrado das coisas, eu comecei a organizar o que restava. Este processo é a chave para o sucesso, pois garante um futuro limpo e organizado. Todos os itens semelhantes devem ser armazenados no mesmo local, como por exemplo, todas as canetas na casa devem estar juntas. Isso parece óbvio, mas na prática não é. Isto é o que Kondo chama de "armazenamento por categoria, não por localização".

Porém, existem dois argumentos principais que o livro traz que eu discordo. Um deles, afirma que os livros não-essenciais devem ser jogados fora, e o outro que as fotografias são supérfluas. Eu nunca poderia jogar fora livros e fotos e por isso discordo nestes dois pontos.

Recomendo este livro caso você necessite se sentir mais leve e mais livre em casa. Na verdade, eu acho que não doei suficiente e poderia ter feito mais. Após a limpeza, a minha casa ficou mais calma mas, na verdade, o que realmente me ajudou e ser mais consciente das coisas que eu estou adicionando a minha casa nas compras futuras. Afinal de contas, muitos dizem que o maior luxo é ter poucos, mas pertences selecionados. Eu acredito que nós, como sociedade, estamos preocupados demais com as nossos pertences enquanto que, na verdade, a falta de pertences pode nos fazer mais felizes e completos.