OPINIÃO
07/05/2015 15:06 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Quando meus filhos lerem isso em dez anos, espero que a fome seja coisa do passado

Desde 2009, quando nasceu meu filho Max, sabia que tinha de fazer algo para ajudar outras crianças e famílias ao redor do mundo. Foi quando me tornei Embaixadora Voluntária Contra a Fome do Programa Mundial das Nações Unidas para a Comida (WFP), assim como porta-voz voluntária para a iniciativa contra a fome da Yum!. Mas essa história é mais que minha, ela é a história de milhões de crianças e famílias ao redor do mundo que precisam da nossa ajuda.

Christina Aguilera/ WFP

Parabéns ao Huffington Post pelos dez anos! No último mês de agosto, logo antes do nascimento de minha filha, Summer, vocês me convidaram para compartilhar uma história muito importante para mim - acabar com a fome no mundo. Sou muito grata por aquela oportunidade, e obrigada aos muitos leitores do Huffington Post que a passaram adiante.

Desde 2009, quando nasceu meu filho Max, sabia que tinha de fazer algo para ajudar outras crianças e famílias ao redor do mundo. Foi quando me tornei Embaixadora Voluntária Contra a Fome do Programa Mundial das Nações Unidas para a Comida (WFP), assim como porta-voz voluntária para a iniciativa contra a fome da Yum!. Mas essa história é mais que minha, ela é a história de milhões de crianças e famílias ao redor do mundo que precisam da nossa ajuda.

No ano passado, muitos de vocês se juntaram a mim na campanha #PasstheRedCup, para criar conscientização sobre a crise global de fome - 805 milhões de pessoas, muitas delas crianças, que vão dormir com fome. O símbolo da campanha, uma caneca vermelha, representa os milhões de refeições que serão entregues às crianças por meio de um programa do WFP.

Juntos, criamos um movimento. Milhões de dólares foram levantados para apoiar os programas do WFP. Desde 2007, a campanha da Yum! arrecadou 600 milhões de dólares em dinheiro e doações de comida, providenciando 2,4 bilhões de refeições nutritivas para mulheres e crianças de todo o mundo.

Mas ainda temos muito a fazer.

Visitei locais atendidos pelo WFP em Ruanda, Haiti e Guatemala. Vi a necessidade em primeira mão. A sensação de desespero nos olhos de uma mãe segurando sua criança faminta. Também vi a alegria. O rosto de mães e crianças brilhando ao receber uma refeição. Senti a alegria de entregar uma refeição para uma criança que não faz ideia de quem eu seja. Ela simplesmente sorri em agradecimento. Essas refeições podem ser a única comida que essas crianças terão em um dia inteiro.

Alimentar uma criança faminta é uma experiência que muda a vida. E todos temos o poder para fazê-lo. Existe comida suficiente no mundo para alimentar a todos. Se todos doarmos um pouco de tempo e dinheiro, podemos acabar com a fome. Minha maior esperança é que, em dez anos, possamos olhar para trás com orgulho, sabendo que o mundo se uniu para acabar com esse problema.

Quero que meus filhos, Max e Summer, sempre apreciem o que têm, mas também que eles entendam que têm um papel a cumprir: ajudar os cidadãos do mundo a combater a fome. Adoraria que eles deparassem com esse artigo daqui uma década e vissem que não há mais fome no mundo.

Sei que isso é possível! Por favor, ajude doando o que puder para a campanha do World Hunger Relief.Compartilhe esse artigo com amigos e familiares e os incentive a se envolver. Faça o possível em sua comunidade. Juntos, vamos passar da fome para a esperança!

Este post é parte de uma série que comemora os 10 anos de HuffPost através das opiniões de especialistas que olham para a próxima década em suas respectivas áreas. Leia aqui todos os posts da série.