Opinião

Romã: a fruta da vida

Independentemente do que já se sabe a respeito das propriedades dessa divina fruta, eu acredito que através da explicita aparência é possível perceber que podemos consumir toda sua riqueza.

Romã. Quando eu vejo essa fruta me vem na mente amor. Porque é o que se forma a palavra ao contrário. Para a minha sensibilidade, toca o coração, e, desde a forma e funcionalidade e função, envolve sistema circulatório, todos os tecidos do corpo humano. Ou seja, a fruta romã produz vida para todos os sistemas.

Por um momento olhe nos seus pés toda a circulação que chega até as unhas é por onde os nutrientes chegam. Mas quero chamar sua atenção para a dimensão celular que compõe cada pedacinho do corpo humano que vai dos pés ao fio do cabelo. O tocante é que as sementes da romã têm essa similaridade, lembram células cheias de vida. Independentemente do que já se sabe a respeito das propriedades dessa divina fruta, eu acredito que através da explicita aparência é possível perceber que podemos consumir toda a riqueza da romã.

Origem: do Oriente Médio, mais especificamente na Ásia Menor. Nativa e domesticada no Irã (antiga Pérsia).

O nome científico da romã é punica granatum, uma fruta que possui propriedades úteis no combate a doenças cardíacas, para enxaquecas, para febre, para afecções nos olhos, atua na prevenção do envelhecimento, e como vermífugo. Segundo o herbário chinês, a romã aumenta a longevidade. A fruta vem sendo considerada uma moderna fonte medicinal.

Possui substâncias antioxidantes e anti-inflamatórias que ajudam no tratamento das doenças. É abundante em água, tem baixa quantidade de gorduras e pouquíssimas calorias. Rica em potássio, cálcio, ferro e fósforo. E tem ainda, minerais como, magnésio e sódio. Também possui vitamina A, tanino e vitaminas do complexo B, como a B6, e ácido pantatênico e ainda, vitamina C e E. É composta de carboidratos, água e proteínas. Composição nutricional: Em 100 gramas: 62 calorias; proteínas: 95 gramas; carboidratos: 17,17 gramas; vitamina C: 6,1 mg; fibra: 0,2 grama; Provitamina A: 3,5 mcg; Cálcio 8 mg; magnésio: 3 mg.

As pesquisas das Universidades de Harvard e de Wiscosin-Madison, nos Estados Unidos, mostraram que a romã tem uma quantidade surpreendente de antioxidantes de primeira linha (um deles é o acido elágico, responsável pela cor vermelha das sementinhas). Sendo um tipo de flavonóide mais potente que o da uva,

a romã pode ser inserida em sucos, saladas e sobremesas. Experimente essa riqueza da natureza. Vale consumir e conhecer sobre a romã.

Muito amor e romã para toda vida.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

TAMBÉM NO BRASIL POST:

17 "pratos" que exageraram no bacon