OPINIÃO
01/04/2014 11:30 -03 | Atualizado 26/01/2017 20:51 -02

SPFW Verão 2015: o que rolou no primeiro dia de desfiles

animale

Abrindo a temporada Verão 2015 de moda brasileira, a Animale trouxe para as passarelas do São Paulo Fashion Week uma coleção delicada e jovem, inspirada nas mulheres do Norte e Nordeste do Brasil. Cores que lembram a paisagem do sertão nordestino se mesclam com estampas abstratas e recortes feitos em peças de látex, clara referência à borracha da Amazônia. A renda renascença, trabalho artesanal característico das regiões que serviram de inspiração, está presente em muitos looks, seja em pequenos detalhes ou peças inteiras, como a saia evasê. As muitas texturas utilizadas se misturam, criando um patchwork visual interessante, que enaltece a qualidade têxtil da marca. Já as silhuetas não são nem um pouco inovadoras, mas destacam perfeitamente os detalhes da modelagem, como os babados feitos em tecidos fluidos, que parecem dançar com o andar das modelos. Acompanhando os looks, cabelos superlisos e maquiagem natural, pensada para "uma mulher real, verdadeira, do mundo", diz Silvio Giorgio, maquiador do desfile.

tufi

Indo na direção completamente oposta de sua última coleção, Eduardo Pombal apresenta um verão iluminado e tecnológico para a Tufi Duek. O estilista consegue mesclar duas décadas marcantes da moda (1950 e 1960) em vestidos delicados e femininos, com um toque de sensualidade que está sempre presente nas coleções da marca. Os decotes profundos e os microcomprimentos deixam a pele à mostra e quebram a infantilidade que alguns looks passam, como nos vestidos em tons pastel, com saias estruturadas e tecidos texturizados. Dos anos 60, além da silhueta reta, Pombal traz um toque do futurismo, com detalhes prateados e peças feitas a partir de materiais brilhantes, que aos olhos parecem plástico. A modelagem impecável se destaca nos recortes geométricos e nas formas das saias e bustos estruturados.

desfile cavalera

A Cavalera levou o Woodstock para Bali, em uma coleção que trouxe influências do rock'n'roll, como não poderia deixar de ser, misturadas com uma pegada hippie-folk dos anos 70. A marca encerra o dia com um desfile caricato, colocando camurça, franjas, cores neutras, estampas florais e todas as referências que você conseguir juntar quando pensar em "folk". As peças ficam mais interessantes quando são pintadas de preto e ganham transparência, criando uma imagem mais sensual, quase rebelde. Os looks masculinos merecem um destaque a parte, colocando peças que geralmente ficariam restritas ao guarda-roupa feminino nos homens, como o quimono, peça-chave do verão da marca.

LEIA TAMBÉM:Cavalera promove um desfile-protesto no primeiro dia de SPFW

Texto originalmente postado no blog Carolina Nazatto.