OPINIÃO
29/01/2015 19:24 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

O que podemos aprender com o filme 'Livre'

2015-01-29-wild.jpg

Há uma semana fui assistir ao filme "Livre" (Wild), dirigido por Jean-Marc Vallée (Clube de Compras Dallas) e escrito por Nick Hornby (Alta Fidelidade). Assim que ouvir falar dele, me interessei. Creio que por motivos óbvios. Trata-se da história real da norte- americana Cheryl Strayed, interpretada por Reese Whiterspoon (indicada como melhor atriz para o Oscar 2015), que decide andar por 1,8 mil km da Pacific Crest Trail, um percurso que vai do México ao Canadá.

Após a perda da mãe, de um divórcio complicado e de se perder na vida, a garota coloca na cabeça que a solução poderia vir através de uma experiência intensa e que ela precisava "viver de beleza" e por isso larga tudo e se joga na solidão da longa e bela trilha.

Cheryl não era uma triatleta e muito menos uma aventureira profissional e, por isso, correu riscos e fez muitas besteiras antes e durante a viagem. Estou me preparando para fazer um mochilão pela América do Sul, então consegui captar algumas dicas que o filme dá. Acredito que podem ser úteis para quem tem o espírito aventureiro, mas na prática não tem muita experiência - assim como eu. Estas são algumas lições que tirei do longa.

1. Não leve sua casa na mala

No filme, Cheryl leva uma mala que mais tarde é apelidada de "monstra", devido ao tamanho. Ela mal consegue carregar a bagagem, sendo obrigada a deitar no chão para conseguir levantá-la. Faça a mala e depois desfaça tirando tudo o que é supérfluo.

2. Seu calçado não pode estar muito justo

Se você vai passar por lugares quentes e frios, pode ser que alterne meias grossas e finas, portanto, seu calçado tem de se adaptar às ocasiões. No filme, a garota perde a unha do dedão por usar uma bota muito justa. Solução? Compre um número maior.

3. A solidão é sua companheira, não inimiga

Viajar sozinho é uma experiência que não agrada todo mundo, mas tem um valor enorme para quem o faz. Quando você está sozinho, aprende a se ouvir, a se entender e, de certa forma, consegue meditar e explorar melhor sua mente. É um exercício que todos deveriam praticar para se autoconhecer.

4. O mundo ainda continua perigoso para as mulheres

Mulheres não devem deixar de realizar suas vontades por medo, mas devem estar atentas e prever qualquer situação de risco. No longa, a garota passa por momentos que acha que pode sofrer violência apenas por ser mulher.

5. Livros são um bom passatempo, mas...

Podem ser um peso desnecessário na mochila. Se você for do tipo desapegado, pode rasgar as páginas lidas para diminuir o volume ou levar um kindle, caso te agrade os gadgets.

6. Tente praticar o desapego quanto à aparência

Posso dizer que para alguns tipos de viagens, como as de aventura, praticar o desapego em relação à aparência é algo essencial, já que você não terá todos os acessórios à mão para se embelezar. No entanto, pode manter a higiene básica. Em lugares como desertos, onde não tem chuveiro e privada, você pode fazer uso de lenços umedecidos, shampoos que lavam a seco e essas maravilhas que a indústria já disponibiliza.

7. Anote memórias

A cada etapa concluída da trilha, Cheryl anotava no welcome book da própria trilha um trecho de livro que representava o que ela tinha pensado naquele período. Você pode levar um pequeno caderninho para anotar pensamentos ou trechos de livros que remetem à experiência. É um boa lembrança para o futuro.

8. Permita-se mudar

Certas viagens transformam a gente. No caso de Cheryl, ela viajou justamente para se encontrar e procurar uma mudança dentro dela. Se você vive algo muito diferente e em um lugar inspirador, é possível que tenha insights. Sim, isso é comum. Permita-se enxergar isso e viver essa transformação, que geralmente vem para te melhorar.

9. Aprenda a lidar com os aparatos antes de viajar

Cheryl não sabia montar a barraca e não sabia que combustível usar no fogão portátil. Por mais engraçado que possa parecer passar por isso, se você está no meio do mato, está escurecendo e você não sabe ao menos como fazer para se proteger, pode passar por perrengues maiores. Teste antes tudo em casa.

10. Fique atento aos sinais

Cheryl estava atenta a tudo ao seu redor e descobriu pessoas e um mundo novo. Se emocionou com um garotinho cantando, ficou bêbada com uma turma de garotos, conheceu outra mulher que estava fazendo a trilha sozinha. Perceber os sinais e construir uma história para a sua jornada é importante para a sua vivência. Não faça nada apenas por fazer.

Curta a gente no Facebook |
Siga a gente no Twitter

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

VEJA TAMBÉM:

Lugares para visitar antes que virem ‘hits'