OPINIÃO
23/03/2015 10:20 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:36 -02

Mochilão na América do Sul: truques e cuidados

Antes de fazer o mochilão pela Bolívia, Chile e Peru, fiz como a maioria das pessoas e pesquisei os cuidados que deveria ter, o que era útil levar e como evitar grandes perrengues. Mesmo pesquisando, tem coisa que a gente só descobre quando está no lugar. Anotei algumas coisas e agora compartilho com vocês aquilo que a gente nem sempre fica sabendo na internet.

Antes de fazer o mochilão pela Bolívia, Chile e Peru, fiz como a maioria das pessoas e pesquisei os cuidados que deveria ter, o que era útil levar e como evitar grandes perrengues. Mesmo pesquisando, tem coisa que a gente só descobre quando está no lugar. Anotei algumas coisas e agora compartilho com vocês aquilo que a gente nem sempre fica sabendo na internet.

Roubo de malas dentro e fora do ônibus

Durante a viagem conheci pessoas que falavam sobre o roubo de malas/mochilas dentro do ônibus de viagem e nos terminais. Se possível, leve a mochila com você dentro do ônibus. Para ser mais confortável, compre sempre o lugar panorâmico, que tem um espaço maior na frente e você pode acomodar melhor a mochila. Porém, algumas empresas não permitem que o passageiro leve a bagagem com ele, então, nesse caso, você deverá colocá-la no compartimento específico. Sempre pegue uma empresa confiável, como a Cruz del Sur, no Peru, pois é garantido que eles têm controle de tudo e sua mala não será roubada. Para saber a melhor cia, pergunte nos hostels ou para outros viajantes. Se necessário, gaste um pouco mais para ter segurança.

Na Bolívia é mais complicado, então esteja sempre atento às paradas e, se possível, desça ou olhe pela janela cada vez que alguém for mexer no compartimento. Quando comprar a passagem, prefira as que coloquem etiqueta na mala, pois é uma mínima segurança. Deixe a mochila de ataque/de mão embaixo do seu banco e não na parte de cima, pois vi um caso de roubo em que a pessoa estava dormindo e não viu que sua mochila tinha sido levada da parte de cima. Nos terminais, jamais deixe a mochila sozinha, sempre esteja com ela no corpo, mesmo se você estiver sentado, prenda a bagagem nos pés ou braços.

Água e peixes contaminados

Sim, a água na Bolívia é contaminada e você pode passar bem mal. Compre sempre sua água e cuidado com refeições que sejam feitas com água, como as famosas sopas de milho que são servidas como entrada nos menus. Tente evitar sucos também. Um prato muito comum na Bolívia é a truta (chicharrón de trucha), mas deixe para comer esse prato em lugares onde a truta é mais fresca, como em Copacabana/Isla del Sol. Quanto ao ceviche peruano, escolha um lugar confiável. Nos hostels os staffs sempre têm indicações. Conheci um pessoal que comeu ceviche no Peru e todos foram parar no hospital, sendo que um deles teve que retornar ao Brasil. Recomendo o Las Machitas (Avenida Perú, F-9, Wanchac), em Cuzco.

Táxis falsos e golpes

Táxi na América do Sul é algo a se prestar atenção, já que tem muito golpista. Existe um golpe famoso em que o taxista e um policial falso encenam uma situação em que, no final, faz o passageiro passar todas as senhas de banco e dar seu dinheiro a eles. Prefira sempre ligar para uma empresa de táxi em vez de pegar na rua. Caso esteja na rua e não tenha saída, veja se os táxis estão identificados com adesivos, telefones e outras sinalizações, embora isso não seja uma garantia, pois existem táxis que têm todas as identificações, mas são falsos.

Preparação para viagens de ônibus

Algumas viagens são bem longas e podem ser entediantes se você não tiver uma distração. Podem também ser um pesadelo se você não estiver devidamente equipado e preparado para enfrentar horas dentro de um ônibus que, muitas vezes, é bem precário. Leve uma manta pequena, como essas de avião, pois é extremamente útil! Usei todas as vezes. Leve uma troca de roupa, papel higiênico, livros (se tiver um Kindle, melhor!), IPod, agasalho (luva, gorro, cachecol até para fazer de travesseiro) e, se estiver acompanhado, compre um adaptador para fones de ouvido, onde você pode ligar dois fones em um aparelho só e, assim, ouvir música ou um podcast com a sua companhia. Outra ideia legal é levar o IPad com jogos, como xadrez, pois é possível jogar a dois.

Quando não der para tomar banho...

Aham, isso vai acontecer. Haverá dias em que a água do hostel estará gelada e o dia estará muito frio para isso ou em que você estará a caminho do Deserto de Uyuni e não haverá chuveiro na hospedagem. Nesses dias, tenha em mãos um shampoo a seco, como o Batiste (R$ 20 mais ou menos), lenços umidecidos para o rosto e outro de higiene íntima e desodorante. Você não vai se sentir incomodado (a) se estiver com esses itens básicos de higiene.

Proteja-se do sol mesmo no frio

Na Isla del Sol estava sol, como diz o nome, mas estava frio também. Ignorei o protetor solar e por pouco não fiquei com insolação. Em muitos lugares me deparei com essa situação de frio com sol. Vi que realmente não dá para deixar o protetor de lado, muito menos o gorro/boné e os óculos escuros. Passe protetosr mesmo se o dia estiver nublado, principalmente em áreas abertas, como Machu Picchu, Isla del Sol e Uyuni. Leve também um hidratante, pois a pele fica extretamente ressacada nesses lugares. A boca fica partida e dói. Não é frescura. Homens são mais relaxados quanto a isso, mas o hidratante é útil para todo mundo, sem exceção. No fim do dia, você estará com as mãos e o rosto descascados de frio.

Como lidar com o Soroche (mal de altitude)

O mal estar varia de pessoa para pessoa. Sofri poucas vezes com o mal de altitude e apenas uma vez me lembro de realmente ficar baqueada, com dor de cabeça, tontura e enjoo. Nesses países é comum mastigar a folha de coca ou tomar o chá (tem gente eu não gosta, mas eu gostei!). Realmente ajuda! Para fazer efeito, você deve pegar um maço de umas 20 folhas e colocar no canto da bochecha. Fique sugando o líquido que sai ao misturar com a saliva. Há também um remédio chamado Soroche Pills. Esqueça. Não passa de um Aspirina disfarçada. A composição, se você for ver, é a mesma da Aspirina. Ou seja, leve um estoque daqui, pois pode ser que você tome quase todos os dias e tem lugares que a venda de remédios é muito controlada. Prefira levar sua farmacinha completa.

Truque para caber tudo na mochila

Minha viagem foi de 1 mês. Levei uma mochila de 60 litros e uma pequena de ataque/de mão. Sou muito econômica ao fazer a mala, mas para 1 mês até que vai bastante coisa. Roupa de frio ocupa muito espaço, então me senti perdida ao arrumar a mala e ver que não ia caber tudo. Mas há um truque que fez até sobrar espaço na mochila. Separei tudo em saquinhos de plástico. Fiz rolinhos com as roupas e separei por categoria dentro de saquinhos de mercado. Por exemplo: camisetas de calor em um saquinho, calças em outro, peças íntimas em outro, blusas de frio em outro. Apertei bem os saquinhos para sair o ar e dei um nó frouxo. Depois fui empilhado e encaixando dentro da mochila. No fim, sobrou um espaço grande! Além de compactar tudo, fica mais organizado e fácil de procurar o que você quer, pois você sabe onde está tudo.

VEJA TAMBÉM:

Galeria de Fotos Lugares surreais Veja Fotos