OPINIÃO
07/02/2014 10:16 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:51 -02

Três brasileiros para ficar de olho nas Olimpíadas de Inverno

CBDN/Divulgação

Quando ouço falar em atletas brasileiros nas Olimpíadas de Inverno, a primeira coisa que vem à minha mente é o filme, típico de Sessão da Tarde, "Jamaica Abaixo de Zero". A comédia norte-americana do início dos anos 1990 mostra o desafio da equipe de bobsled do país caribenho se aventurando nas Olimpíadas de Inverno do Canadá, em 1988. Sei que essa associação é o maior clichê dos Jogos.

Sabemos que Brasil e neve não combinam. Mas, para os 13 brasileiros que irão vestir as cores verde e amarela em Sochi, na Rússia, não será uma brincadeira. Pela primeira vez o país leva para a competição esse número de atletas, em sete modalidades. Quem diria, estamos criando tradição nos Jogos Olímpicos de Inverno. A maior delegação do país até então era de Salt Lake City 2002, quando o Brasil levou dez atletas em quatro modalidades.

É louco imaginar que esses atletas trocam a alta estação no Brasil para treinar no inverno no hemisfério Norte. Nada de biquíni, sunga, praia e muito sol e, sim, casaco, bota, luva, touca ou esqui.

Da delegação nacional, os brasileiros podem ficar de olho em três atletas: Isabel Clark (snowboard cross), Jaqueline Mourão (esqui cross country e biatlo) e Isadora Willians (patinação artística).

O destaque é, sem dúvida, a participação da Jaqueline Mourão, 38 anos. A atleta, que será a porta-bandeira brasileira, está prestes a encarar a quinta edição dos Jogos -- duas de verão e três de inverno. Ela vai disputar provas de esqui cross country e biatlo de inverno, em que será a única latino-americana encarando a prova.

No snowboard cross, Isabel Clark é a responsável pelo melhor resultado brasileiro em Jogos de Inverno, ao ficar na nona colocação em Turim 2006. É a maior esperança nacional, mesmo que remota. É uma atleta que tem muita experiência, pois também disputa provas no Winter X Games em Aspen.

Na patinação artística, importamos a Isadora Williams, norte-americana naturalizada brasileira -- Isadora nasceu na cidade de Marietta, na Geórgia. Com 17 anos, atleta é a caçula da delegação nacional.