OPINIÃO
05/02/2015 17:01 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:11 -02

Miguel Nicolelis: o próximo passo é dar braços ao exoesqueleto

O pesquisador comentou sobre os próximos passos do projeto e anunciou a adição de braços ao exoesqueleto. Também ressaltou a diferença entre sua pesquisa e as demais com uma frase dita por seu orientador paraplégico: "Eu não quero só andar, quero sentir o chão abaixo dos meus pés".

divulgação

Por Washington Pereira

Como todo bom nerd, Miguel Nicolelis falou sobre a profissão geek e incentivou os espectadores a realizarem seus sonhos. Em sua palestra na Campus Party, ele também comentou sobre seus mais novos experimentos e projetos desenvolvido em paralelo em nosso País.

Experimentos

Com o avanço de seus pesquisas, Nicolelis relatou o experimento que realizou junto a sua equipe, onde três macacos teriam de ganhar um jogo de forma colaborativa enviando informações através de sinais eletrônicos a tarefa que o próximo jogador teria que executar. O jogo era composto por três missões denominadas por ele de x, y, z e cada macaco possuía apenas duas instruções (exemplo: x e y). Os macacos foram capazes de comunicar e cumprir com o objetivo proposto. Com isso foi possível obter novos resultados e informações para o avanço de suas pesquisas.

Exoesqueleto

Dr. Miguel Nicolelis também comentou sobre os próximos passos do projeto e anunciou a adição de braços ao exoesqueleto e ressaltou a diferença entre sua pesquisa e as demais com uma frase dita por seu orientador paraplégico: "Eu não quero só andar, quero sentir o chão abaixo dos meus pés".

Projetos no Brasil

Como um bom patriota, Miguel Nicolelis não esqueceu do nosso País. Na Campus Party, ele comentou com orgulho sobre a construção de um dos maiores centros tecnológicos do mundo na periferia da cidade de Natal (RN). Também falou sobre seu engajamento na reformulação da forma de ensino no Brasil além dos seus esforços na prevenção de doenças infantis identificadas ainda no pré-natal.

Siga a gente no Twitter

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.