OPINIÃO
05/02/2015 17:07 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:11 -02

Está difícil jogar 'League of Legends' na Campus Party? A culpa é de um hacker

Mas esse hacker invadiu a Campus? Não, mas ele invadiu inúmeras vezes o servidor da RIOT, empresa que desenvolveu e comercializa o League of Legends. A RIOT teve tantos problemas com os ataques do OTrasher que desenvolveu um limite de fluxo de banda para único IP no Brasil. Ou seja, se um IP brazuca se conecta no servidor com uma carga muito alta, ele recebe um limite para impedir que o servidor caia. Como o IP de saída da Campus é um IP fixo, a RIOT está limitando o fluxo.

divulgação

Por Abner Contaldo Ferreira Martins

Desde a terça-feira, 4, quando a arena da Campus foi aberta, os aficionados por League of Legends estão enfrentando várias dificuldades com relação ao ping, que é o tempo de resposta entre o computador e o servidor que está hospedando as partidas. Um ping aceitável para os jogadores vai até 20ms (milissegundos), na Campus Party, a média encontrada é de 120ms.

A pergunta que fica é, como que com uma internet tão rápida e robusta o ping fica tão alto? São 50 Gbps de internet, até o momento, o pico máximo de uso não passou de 10 Gbps, por isso, os jogadores não conseguem aceitar que a experiência do LoL não seja a melhor possível.

A resposta veio na palestra do gerente de infraestrutura da Campus Party, Edson Borelli, que falou sobre o funcionamento do OVNI e destrinchou todo o projeto de construção da complexa infraestrutura da Campus Party. Segundo Borelli, a culpa dos problemas do Lolzinho é de um velho conhecido dos jogadores, um hacker brasileiro chamado OTrasher.

Mas esse hacker invadiu a Campus? Não, mas ele invadiu inúmeras vezes o servidor da RIOT, empresa que desenvolveu e comercializa o League of Legends. A RIOT teve tantos problemas com os ataques do OTrasher que desenvolveu um limite de fluxo de banda para único IP no Brasil. Ou seja, se um IP brazuca se conecta no servidor com uma carga muito alta, ele recebe um limite para impedir que o servidor caia. Como o IP de saída da Campus é um IP fixo, a RIOT está limitando o fluxo.

Borelli disse que a Campus já entrou em contato com a RIOT para rever essa limitação e melhorar a experiência dos jogadores, contudo, não há nada além disso que possa ser feito para solucionar ou melhorar a questão.

Siga a gente no Twitter

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.