profile image

Gleyma Lima

Journalist and feminist

Gleyma Lima, 29 anos, jornalista, feminista, cearense e pós-graduada em Gestão Estratégica da Sustentabilidade.

10 anos de experiência nos segmentos de comunicação corporativa, redação e responsabilidade social.

Grande experiência cultural após viver na África do Sul e Moçambique, viajar a trabalho para o México e realizar trabalhos na área de comunicação e responsabilidade social para Sex Worker, Embaixada da Noruega, FIFA, Governo de Moçambique e ONU Mulher.

Textos publicados em locais como: Diário do Grande ABC, Agora SP, DCI, Opera Mundi e Carta Capital.
12 mitos sobre aborto que matam mulheres diariamente no

12 mitos sobre aborto que matam mulheres diariamente no mundo

A legalização do aborto hoje luta contra as religiões, dogmas sociais, e claro, com as frases feitas travestidas de lições de moral, e que são na realidade, um retrato de uma sociedade machista que finge que o aborto não acontece, e quando se é feito, a mulher paga atrás das grades por exercer o seu direito de liberdade de escolha.
08/03/2016 15:12 -03
Não gosta da ideia do aborto? Não faça

Não gosta da ideia do aborto? Não faça um

A sua opinião não vai mudar o fato de que mulheres que não querem ter filhos abortam diariamente. Mulheres religiosas, mães de família, adolescentes, mulheres pobres, mulheres ricas, mulheres casadas, mulheres solteiras, mulheres empregadas, desempregadas abortam todos os dias. Mulheres de todos tipos abortam e a opinião de ninguém vai mudar isso. A única diferença é se elas vão ter direito a um aborto seguro ou não. E é isso o que mais interessa, pois todos os anos cerca de 47,000 mulheres morrem e 8 milhões sofrem traumas físicos e mentais irreversíveis devido a abortos inseguros.
23/02/2016 16:01 -03
Criminalizar o aborto não protege vidas, nem salva

Criminalizar o aborto não protege vidas, nem salva almas

A criminalização do aborto não protege a vida, não salva almas. A criminalização do aborto cerceia o livre arbítrio, inerente ao ser humano. Como Ana, as mulheres brasileiras não querem abortar. Elas querem ter o direito de escolher interromper a gravidez ou não.
18/01/2016 11:58 -02