Gabriela Agustini

.

Gabriela Agustini descobriu o P2P e o potencial da rede quando estudava Comunicação na Universidade de São Paulo (USP) e trabalhava em grandes grupos de mídia 10 anos atrás. De lá para cá, já organizou e participou de uma série de projetos, encontros e grupos sobre o potencial das novas tecnologias na transformação da sociedade e trabalhou junto a empresas do setor público, privado e startups ligadas ao cenário de tecnologia. Fez parte do grupo que organizou a Casa da Cultura Digital em SP, pela qual foi curadora e diretora executiva do Festival Internacional CulturaDigital.Br e atuou em projetos como Produção Cultural no Brasil e Fórum da Cultura Digital Brasileira. Atualmente é professora de Cultura e Tecnologia na Universidade Cândido Mendes e na Fundação Getúlio Vargas Rio, sócia e Diretora de Inovação no <a href="http://templocoworking.com/" rel="nofollow">Templo</a>, espaço de empreendedorismo no Rio de Janeiro. <br> <br> <a href="https://twitter.com/gabiagustini" rel="nofollow">https://twitter.com/gabiagustini</a> <br> <a href="https://www.facebook.com/gabi.agustini" rel="nofollow">https://www.facebook.com/gabi.agustini</a> <br> <a href="http://gabiagustini.tumblr.com/" rel="nofollow">http://gabiagustini.tumblr.com/</a>
A internet sabia do surto do ebola antes da

A internet sabia do surto do ebola antes da OMS.

Analisar as informações e rastros deixados pelas pessoas na internet em tempo real para o monitoramento de doenças é uma tendência e deve pautar a saúde pública nos próximos anos
05/09/2014 18:00 -03