profile image

Bianca Santana

Journalist specialized in digital culture

Jornalista, escritora e professora da Faculdade Cásper Libero. <br> <br> Militante feminista, doutoranda em Ciência da Informação e mestra em educação pela Universidade de São Paulo.
A classe social mudou. Mas o racismo e o machismo que sofremos,

A classe social mudou. Mas o racismo e o machismo que sofremos, não.

Diversas autoras partem do "tornar-se negra" para construírem análises consistentes das dinâmicas sociais. Pesquisadoras como Patricia Hill Collins, Angela Davis, Bell Hooks, Audre Lorde, Sueli Carneiro e Djamila Ribeiro nos ajudam, a partir do olhar para a base da pirâmide, a ampliar a forma como vemos toda a sociedade.
03/05/2016 13:56 -03
Ocupação da E.E. Wilma Flor, na Cidade

Ocupação da E.E. Wilma Flor, na Cidade Tiradentes

Cartazes indicam: estudantes resistem. Do portão fechado é possível ouvir aquele barulho de escola viva. O páteo aberto, esvaziado pela chuva, cria um clima de mistério antes de passar pelo corredor estreito. Do lado de dentro, uma roda de debate, artes marciais em um tatame, reunião na cozinha improvisada e jogo na mesa de pingue-pong.
10/03/2016 15:18 -03
A ocupação nos

A ocupação nos libertou

Um mês antes de iniciar as ocupações, eu li um título que era mais ou menos assim: "a geração que idealiza tudo e nada faz".
09/12/2015 21:15 -02
Precisamos ser efetivos no combate à

Precisamos ser efetivos no combate à criminalidade

A pergunta que fica é: quem é bandido no Brasil? Menino de classe média que estupra "cometeu um equívoco" e recebe apoio dos pais para abafar a situação. Mas, sem falar nos menores agora, quantos homens adultos já forçaram uma mulher a fazer sexo sem o consentimento dela?
21/08/2015 17:46 -03
Carta à menina que perdeu o pai na chacina de

Carta à menina que perdeu o pai na chacina de Osasco

Desejo, com todo o meu ser, que essa dor pare na sua geração. Que consigamos transformar essa sociedade a ponto de ela não assassinar mais homens negros -- nem ninguém -- com tanta naturalidade. Esse buraco vai ficar com você para sempre. Que dele venha força, amor e fé.
17/08/2015 12:57 -03
18 razões para a não redução da maioridade

18 razões para a não redução da maioridade penal

Quem defende a democracia precisa se mobilizar com urgência. Não é de hoje que entidades da sociedade civil e parlamentares se articulam contra a proposta de redução da maioridade penal. Precisamos fortalecer essa luta antes da nova votação na Câmara e no Senado.
02/07/2015 10:20 -03
Em 2025 comemoraremos as mudanças que começam aqui e

Em 2025 comemoraremos as mudanças que começam aqui e agora

Em 2025 comemoraremos a primeira década de significativa redução de desigualdade social no Brasil. Nossa sociedade mais igualitária será, evidentemente, mais segura, com índices baixos de violência às pessoas e ao patrimônio. Seremos destaque em raknings de qualidade de educação, acesso aberto ao conhecimento, empregabilidade, preservação ambiental, saúde e igualdade de gênero.
06/05/2015 19:32 -03

"Sinto saudade do que poderia ter vivido"

Precisei de uns 15 anos, muitas leituras, terapia e sofrimento para entender que a morte do meu pai não tinha a ver comigo. Que o suicídio dele não era falta de amor por mim.
08/08/2014 18:20 -03

"Nem todo lugar é lugar de preto"

Com meu cabelo crespo e as roupas de que gosto, todos os dias sou lembrada de que bairro central, casa grande, cafés e restaurantes de classe média; ser professora universitária não são pra mim.
18/07/2014 12:50 -03
17 de junho: a demanda das ruas por uma política em

17 de junho: a demanda das ruas por uma política em rede

Sem bandeiras, sem líderes com nome e sobrenome, eventos agendados pelo Facebook. As manifestações que ocuparam as ruas do Brasil em junho de 2013 não ofereciam os indícios com os quais se costuma interpretar manifestações populares tradicionais e evidenciam características da chamada <strong>sociedade em rede</strong>.
17/06/2014 15:35 -03
O dia em que fui fisgada pelo tarô, essa

O dia em que fui fisgada pelo tarô, essa "bobagem"

Fui à livraria e peguei um livro sobre tarô. Queria sentar ali mesmo para ler tudo. Todos os meus preconceitos vieram à tona. Eu? Urbana, "moderna", pretensiosamente intelectual, me dedicar a "essas coisas"?
17/03/2014 11:47 -03