Ana Paula Meirelles Lewin

Defensora Pública do Estado de São Paulo, Coordenadora do Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher (NUDEM)

Defensora Pública e Coordenadora do Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher da Defensoria Pública do Estado de São Paulo (NUDEM)
Por que não precisamos alterar (ainda) a Lei Maria da

Por que não precisamos alterar (ainda) a Lei Maria da Penha

A Lei Maria da Penha completa em agosto de 2016, 10 anos de sua promulgação. Sem sombra de dúvidas, a Lei 11.340/2006 é o grande marco dos direitos da mulher, não só porque visa coibir e prevenir a violência de gênero praticada contra as mulheres no âmbito doméstico e nas relações intrafamiliares, mas porque foi uma Lei que decorreu da luta dos movimentos de mulheres e da luta da própria Maria da Penha Fernandes (que dá nome a Lei).
03/08/2016 16:48 -03
Não. As mulheres não precisam de flores no Dia da

Não. As mulheres não precisam de flores no Dia da Mulher

Não somos contra as flores. Muitas de nós gostamos receber flores em qualquer ocasião. Mas de que adianta flores, se a desigualdade permanece, se somos violentadas diuturnamente. De que adianta receber flores se não somos respeitadas? De que adianta flores se o nosso discurso é banalizado? O Dia Internacional das Mulheres ainda é para nós um dia de luta, um dia de marcha, um dia de indignação.
08/03/2016 15:32 -03
Parem de chamar as mulheres de

Parem de chamar as mulheres de 'lindas'!

A história de Maria não é só dela. É a história de milhares de mulheres que há muito tempo deixaram de ocupar o espaço privado (ou seja, deixaram de se dedicar exclusivamente aos trabalhos domésticos) e passaram a ocupar, ainda que de forma singela, o espaço público (sim, pasmem, as mulheres hoje estudam e trabalham fora).
05/02/2016 19:47 -02
Por que as mulheres ainda não têm autonomia sobre os seus

Por que as mulheres ainda não têm autonomia sobre os seus corpos?

Importante lembrarmos que ainda é recente a alteração legislativa que passou a configurar o crime de estupro, como crime contra a dignidade sexual. Até o ano de 2009, o estupro era considerado crime contra a honra. Honra? Será que uma mulher vítima de um crime tão grave, torna-se apenas uma mulher "que não serve para casar", uma mulher desonrada?
21/01/2016 19:18 -02