Opinião

Gestantes obesas devem adequar dieta e exercícios

Gestantes obesas devem superar determinadas mudanças e obstáculos durante a gravidez, levando em consideração que com uma abordagem adequada, pode minimizar grande parte dos riscos.

Gestantes obesas devem superar determinadas mudanças e obstáculos durante a gravidez, levando em consideração que, independentemente do peso, muitas carecem de suplemento vitamínico para evitar problemas mais sérios, como deficiências em ferro, ácido fólico e vitamina B12. Uma abordagem adequada, então, pode minimizar grande parte dos riscos relacionados à obesidade materna.

O excesso de gordura afeta a ovulação por conta da sensibilidade à insulina, do excesso de hormônio masculino e excesso de leptina - que é um hormônio proteico específico, produzido e secretado pelo tecido adiposo. Ou seja, a obesidade pode dificultar a gravidez e afeta a saúde reprodutiva principalmente nos primeiros estágios da gestação - aumentando as chances de aborto. Uma adequação da dieta e a prática regular de exercícios físicos podem contribuir muito para se atingir o objetivo da maternidade.

Com o objetivo de uma gravidez saudável em mente, é importante reduzir drasticamente o consumo de gordura trans e de carne vermelha, aumentando a quantidade de proteína vegetal, fibras e carboidratos de baixo índice glicêmico, além de alimentos à base de leite integral. Também vale a pena dizer não a bolachas recheadas, refrigerantes e chocolates, além de embutidos e enlatados de modo geral. Com uma dieta equilibrada e saudável, até mesmo as chances de sucesso da fertilização assistida aumentam consideravelmente.

A condição nutricional feminina tem influência direta, também, em determinadas doenças que merecem um acompanhamento mais intenso em face da gravidez, como a endometriose e a síndrome dos ovários policísticos. O estresse oxidativo é um dos fatores que contribuem para a endometriose, por exemplo. Portanto, é importante que a paciente inclua mais peixes, verduras, legumes e frutas à sua dieta. Aliás, o ômega 3 - encontrado em peixes como salmão, atum, sardinha e bacalhau - é um tipo de ácido graxo essencial que exerce uma ação anti-inflamatória significativa.

Quanto à síndrome dos ovários policísticos, o excesso de peso está presente na maioria das pacientes. Nesses casos, a perda entre 5% e 10% do peso corporal normalmente reduz a concentração de insulina, regulariza o ciclo menstrual e a ovulação, além de melhorar a fertilidade da paciente. Há situações em que uma suplementação contendo vitaminas do complexo B contribui para reduzir os riscos de infertilidade por falta de ovulação. Vale ressaltar, por fim, a importância de se avaliar detidamente a condição nutricional de cada paciente que está enfrentando dificuldades para engravidar.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

MAIS COMPORTAMENTO NO BRASIL POST:

16 maneiras de aumentar sua felicidade