OPINIÃO
09/04/2016 21:37 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:25 -02

A diferença entre ser judeu, sionista e contra o atual governo israelense

A confusão de termos no conflito Israel-Palestina é natural e pode prejudicar o entendimento sobre o posicionamento político das pessoas. Então, é bom esclarecer o significado de algumas palavra

Getty Images/iStockphoto

A confusão de termos no conflitoIsrael-Palestina é natural e pode prejudicar o entendimento sobre o posicionamento político das pessoas. Então, é bom esclarecer o significado de algumas palavras ditas muito frequentemente em discussões sobre o tema:

Judaísmo

É uma religião, uma cultura, um povo, depende um pouco do ponto de vista. O judaísmo é a primeiro religião monoteísta do mundo e se baseia no Antigo Testamento, conhecido por também como Torá. Judeus não são apenas aqueles que usam chapéus, roupas pretas, peruca e saias longas, existem diferentes linhas judaicas. Os mais caricatos, que usam essas vestimentas, seguem a ortodoxia, mas há também os conservadores, os reformistas, os humanistas e até os laicos. Sim, existem judeus laicos

Sionismo

Sionista é aquele que acredita na existência do Estado de Israel e na sua importância para a continuidade do povo judeu. Também há diferentes linhas do sionismo, como por exemplo o político, que acredita que todos os judeus devem morar em Israel, e o espiritual, que vê o Estado Judeu como centro espiritual da religião e, por isso, precisa existir, mas nem todos os que seguem o judaísmo precisam viver lá.

Sendo assim, independente da linha, todo sionista acredita que Israel deve existir, mas há sionistas que acreditam que é preciso viver lá. Além disso, há pessoas que acreditam na existência de dois Estados para dois povos, que acreditam em um país para dois povos e até que acreditam que só deve haver o Estado Judeu. Tudo depende da pessoa. Não há apenas um sionista.

Nem todo judeu é sionista, assim como não é preciso ser judeu para acreditar na necessidade da existência do Estado de Israel.

Ser contra o governo

Como no Brasil e no mundo todo, em Israel há um governo no comando. No governo democrático, é quase impossível que quem está no poder agrade a 100% do povo ou ao resto do mundo.

Nos Estados Unidos, por exemplo, há opositores a Barack Obama. Em Israel, funciona da mesma forma: têm pessoas que moral lá e até sionistas fora de Israel que acreditam que o líder que está no poder, Bibi Netanyahu, não tem boas políticas e não compactuam com suas ações. Importante frisar que, ser contra o atual governo de Israel e suas políticas não significa ser contra a existência do Estado.

Espero que tenha ficado claro e que acabem às acusações infundadas e injustas aos sionistas que são contra o atual governo de Israel ou a qualquer um que critique o governo israelense sem questionar a sua existência.

LEIA MAIS

- Pelo fim das meias verdades no conflito Israel Palestina

- Numericamente somos ótimos

Também no HuffPost Brasil:

Galeria de Fotos Cessar-fogo entre Israel e Palestina Veja Fotos