OPINIÃO
24/02/2015 22:32 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:03 -02

11 fatos sobre amamentação que ninguém te contou

Getty Images/Flickr RF

O aleitamento materno é uma prática recomendada pela OMS que traz enormes benefícios para a mãe e para o bebê. Mas você conhece todos eles? Seu pediatra estimula a amamentação? Você tem o apoio da sua família e do seu empregador?

Se você tem dúvidas sobre amamentação, confira as dicas abaixo:

1. A amamentação na primeira hora de vida fortalece os laços entre mãe e bebê e, de quebra, pode ajudar na saída da placenta, além de reduzir os riscos de hemorragia em um parto normal.

2. Não existe leite fraco! O leite materno contém bactérias que protegem os bebês de doenças, fortalecendo o seu sistema imunológico. E o leite de mães que tiveram parto normal é mais rico do que o leite de mães que tiveram cesárea intraparto (depois que o trabalho de parto começou), que é mais rico que o leite de mães que tiveram cesárea eletiva, sem terem passado pelo trabalho de parto.

3. O leite materno é suficiente para o bebê durante os primeiros meses de vida. Não é preciso dar chá, água, suco, papinhas, e não é preciso complementar com leite artificial. Basta oferecer o peito em livre demanda, ou seja, sempre que o bebê quiser e por quanto tempo ele quiser. A OMS recomenda a amamentação exclusiva até no mínimo seis meses (bebês que ainda não se sentam sozinhos com 7 meses podem permanecer amamentando exclusivamente) e amamentação prolongada até no mínimo dois anos, pois o leite materno no segundo ano de vida supri mais da metade das necessidades nutritivas do bebê. Após os seis meses, pode começar a Introdução Alimentar. Até os dois anos, é isso mesmo: introdução de alimentos! Não é preciso substituir mamadas por alimentos sólidos antes de um

ano de idade. O almoço ou o jantar do bebê pode perfeitamente ser uma mistura de mamada com alimentos sólidos.

4. A pega correta é praticamente 50% do caminho para o aleitamento exclusivo! O bebê precisa abocanhar a auréola do peito, e não o bico. Não é preciso preparar o peito para a amamentação durante a gravidez o corpo se engarrega disso, escurecendo as auréolas e aumentando o tamanho dos seios. Bicos invertidos não atrapalham a amamentação - o bebê não deve chupar o bico, lembra?

5. Há várias posições para amamentar além da clássica deitadinho no colo da mãe sentada. Mas quando estiver nessa posição, o bebê deve estar deitado totalmente de lado no colo da mãe, com a cabeça recostada no ponto onde o antebraço encontra o braço. Mãe e bebê devem estar barriga com barriga, e a boca do bebê deve estar paralela ao bico do peito. Com gentileza, a mãe deve "empurrar" a cabeça do bebê em direção ao bico, até que o bebê abra a boca e abocanhe a auréola. O bico fica bem lá dentro. Atenção: amamentar deitada não causa otite no bebê. Amamentar deitada é uma excelente forma da mãe descansar durante as mamadas noturnas.

6. A melhor forma de ajudar uma mulher a amamentar seu bebê é dando apoio logístico! Quando ela for amamentar e não puder se levantar, as tarefas domésticas devem ser realizadas por outros membros da família (marido, avós, tios).

7. Quando a mulher já acertou a pega e o bebê estiver ganhando peso normalmente, use o sling para não ficar parada e cumprir a sua agenda - seja ela os afazeres domésticos, o trabalho ou compromissos sociais.

8. A amamentação ajuda a mãe a perder peso e enxuga aquela barriga que fica depois do bebê nascer (muito comum em quem teve parto normal).

9. A amamentação não é só alimentação. É uma ótima cura para vários males, como pequenos tombos, soluço, tersol ou seios rachados. Nas decolagens e aterrissagens de avião, ponha o bebê para mamar - como ele ainda não sabe bocejar, a sucção evita o desconforto causado pela diferença na pressão atmosférica que o passeio de avião causa.

10. Use a amamentação para ser mais ativa! Quem está amamentando não precisa carregar mamadeiras pra todo lado - basta o peito! Há protetores de pano (melhor do que os de material absorvente como das fraldas, que pode incomodar) para evitar vazamentos. Em casa, use as conchas de amamentação - enquanto o bebê mama em um peito, o leite do outro seio vaza dentro da concha e você pode guardar para fazer um mamalé, um picolé geladinho de leite materno para o bebê tomar no verão.

11. Os bebês têm uma enorme necessidade de sucção. E a solução para isso está no peito! Não precisa dar chupeta. Uma excelente dica é oferecer o peito mais vezes durante o dia. Se preciso for, ofereça de uma em uma hora, ou até mesmo em intervalos menores, para que o bebê sinta menos necessidade de mamar durante horas seguidas à noite!

VEJA TAMBÉM:

Fotos incríveis de famosas amamentando