OPINIÃO
02/07/2014 16:21 -03 | Atualizado 26/01/2017 20:51 -02

Argentina em duas manchetes distintas e mais pitacos da Copa

DANIEL GARCIA via Getty Images
Argentine President Cristina Fernandez de Kirchner (R) shakes hands with Chilean President Michelle Bachelet before holding a meeting at the presidential palace in Buenos Aires on May 12, 2014. Bachelet arrived in Argentina in an official visit to strengthen trade alliances. AFP PHOTO / DANIEL GARCIA (Photo credit should read DANIEL GARCIA/AFP/Getty Images)

Há alguns dias, a Argentina vem sendo manchete em veículos de comunicação não só pelo futebol apresentado por Messi e as vitórias que a levam adiante na Copa 2014. As atenções do mundo, principalmente dos Estados Unidos, estão no calote financeiro que o governo da presidente 'hermana' Cristina Kirchner flerta efetuar juntos aos seus credores internacionais, após uma batalha jurídica de 8 anos. E este calote pode, aliás, respingar nas contas brasileiras, pois exportamos de sapatos a automóveis para o vizinho. Imagina se eles não tiverem mais dinheiro para comprar nossos produtos?!

Enquanto a Albiceleste vence suas partidas, mesmo depois de muito sofrimento em campo, e o povo 'se ilusiona' com a possível conquista épica em terras do maior rival, o Brasil, a equipe econômica do ministro Axel Kicilof critica a decisão da Justiça dos Estados Unidos para o pagamento da dívida de US$15 bilhões. O país de Cristina já vive uma recessão com a retração de seu PIB no primeiro trimestre deste ano (em 0,8% em comparação ao quarto trimestre de 2013), uma inflação de 11% e desemprego que beira 7%. Além disso, suas reservas financeiras foram diminuindo drasticamente nos últimos tempos e, hoje, estão em apenas US$ 28 bilhões. Para se ter uma ideia, o Brasil tem US$ 380 bi em reservas (fonte: Revista Isto É Dinheiro - edição 871).

O futebol, mais uma vez, se mistura à política e camufla a situação caótica que a Argentina passa. Para piorar, o governo de Cristina detém os direitos de exibição do esporte e os revende como se fossem uma propriedade sua, para a geração de receita aos bolsos do estado. Em outras palavras, o futebol não é mais dos clubes e do povo, é do governo. A presidente 'hermana' reza para que a equipe do técnico Alejandro Sabella levante a taça do Mundial, e a leve para Buenos Aires, apaziguando ânimos por uma crise ainda mais profunda. O orgulho seria restabelecido e Cristina eternizada como a presidente do Tricampeonato. Assim como a ditadura brasileira se aproveitou, em 1970. É bom ficar de olho também nos cadernos de economia e internacional no jornais impressos e sites de notícias. É bom ficar de olho bem aberto...

Mais pitacos

#1 - Não adianta tapar o sol com a peneira. O Brasil é sim favorito contra a Colômbia, mesmo que esteja jogando um futebol abaixo do adversário. É pentacampeão e atua em casa. É a primeira vez que os colombianos chegam às quartas de finais. Neymar tem muito mais bagagem que James Rodriguez.

#2 - Acho que houve chororô demais no último jogo da seleção, durante a classificação ante o Chile. Foi duro assistir ao goleiro Júlio César chorar antes da decisão por pênaltis e ver o capitão Thiago Silva fraquejar em bater como deveria ser de quem assume a responsabilidade de usar a braçadeira (nem olhou para as cobranças). Ambos não passaram confiança e o torcedor temeu por um outro final.

#3 - Sem Luiz Gustavo (suspenso por dois cartões amarelos), Felipão queima a cabeça para encontrar a formação ideal, e que lhe dê confiança, do time que enfrentará a Colômbia sexta-feira, dia 4, em Fortaleza. Eu aposto na entrada do ex-titular Paulinho, mantendo o esquema dos quatro jogos anteriores, com Fred no comando do ataque. Acho que Felipão dificilmente usará o 3-5-2 mas...tudo pode acontecer. Maicon pode aparecer no lugar de Daniel Alves, na lateral direita. A bola continuará a buscar Neymar, não tem jeito, falta criação no meio de campo.

#4 - Não há como negar: os argentinos sabem empurrar sua seleção. Vi isso in loco contra a Suíça, terça-feira (1 de julho), no Itaquerão. E eles têm o direito de cantar que seu ídolo é melhor do que o nosso. Porém, precisam um pouco mais de dose de humildade para mudar a imagem de soberba. Nunca foram e jamais serão melhores do que os outros.

#5 - A performance do goleiro norte-americano Tim Howard foi sensacional neste Mundial. Foi um dos responsáveis pelo sucesso de audiência da Copa nos Estado Unidos. Parabéns! Certamente, ele será um bom garoto-propaganda do esporte nos próximos anos.

#6 - David Luiz o melhor jogador da primeira fase da Copa? Sinceramente, não dá para entender os critérios nada transparentes da Fifa.

#7 - Espero que as semifinais da Copa sejam aquelas de nossos sonhos: Brasil x Alemanha e Holanda x Argentina, ratificando o nível apresentado no Mundial. E que dê os sul-americanos na final.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para ver as atualizações mais rápido ainda, clique aqui.


MAIS ARGENTINA NO BRASIL POST:

Invasão argentina em São Paulo