OPINIÃO
11/04/2016 17:42 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:53 -02

Ensinar exige a consciência da imperfeição humana

Um mundo vivo, inconcluso e em permanente transformação exige uma educação igualmente dinâmica e consciente de suas limitações e possibilidades.

Na verdade, a inconclusão é uma das características que definem os seres humanos. Não somos criaturas perfeitas, completas, definitivas. A humanidade e os conhecimentos que produzimos são dinâmicas necessariamente imperfeitas, limitadas e ainda estão em desenvolvimento.

Na verdade, onde há vida, há inacabamento. Só existe vida onde há transformação. Nada que é vivo está cristalizado, nada que é humano é definitivo.

A questão é que só entre seres humanos esse inacabamento se tornou consciente. Por isso, para Paulo Freire, este poderia muito bem ser o ponto de partida da nossa compreensão sobre educação.

Veja mais no vídeo

Conheça a série de vídeos Pedagogia da Autonomia, de Paulo Freire

LEIA MAIS:

- Qual será o futuro da história política brasileira?

- Em tempos de crise política, Justiça e democracia existem nas redes sociais?

Também no HuffPost Brasil:

10 séries de TV para quem gosta de política