OPINIÃO
31/07/2018 19:12 -03 | Atualizado 31/07/2018 19:19 -03

Mulher tem direito de fazer xixi em pé? Empresa lança condutor urinário reutilizável

Conversei com outras mulheres sobre o uso do condutor urinário.

Getty

Basta uma rápida pesquisa entre as amigas para chegar a um consenso: em certas ocasiões, ter a possibilidade de fazer xixi em pé seria uma dádiva. (obrigada, @deusa).

Seja durante um show, um carnaval ou uma viagem mais longa, nós sabemos que ter acesso a um banheiro com o mínimo de higiene é como achar agulha em um palheiro.

E foi pensando nisso que a empresa Fleurity, que produz coletores mentruais, colocou um novo produto no mercado. A marca acaba de lançar um condutor urinário reutilizável, feito de silicone e BPA free.

Mas será que essa moda pega?

Eu recebi o Uriny e testei por alguns dias. Também conversei com outras mulheres sobre o uso do condutor.

Divulgação

Vamos lá:

1. Higiene

Por ser reutilizável, após fazer xixi você precisa lavar o condutor. Mas, como a gente sabe, em alguns banheiros públicos sequer temos acesso a uma pia com água corrente.

Conversei com a Larissa Afonso e ela me deu uma boa dica: "Costumo andar com lencinhos umedecidos, aqueles que usamos para limpar bebês, sabe? Uso eles para limpar o condutor."

Confesso que não pensei nessa possibilidade durante o meu uso e só fiquei imaginando a situação em que teria que guardar o condutor sujo de urina...

2. Adaptação ao material

O Uriny é hipoalergenico e feito de um material super molinho e maleável. Há um certo desconforto nas primeiras vezes em que você usa o condutor, mas é só uma questão de costume. Ele não machuca e se adapta bem ao corpo. Com o tempo você pega o "jeito" de fazer xixi em pé (parabéns homem, é um pouco mais díficil do que eu imaginava...)

Outro ponto importante: o condutor salvou a Graziele Jung quando ela estava grávida.

"Eu tinha dificuldades na hora de fazer xixi por conta do tamanho da barriga, então usei o condutor urinário durante a gestação."

3. Tabu

Precisar ficar de cócoras realmente não é fácil. Só quem já precisou se equilibrar em um banheiro químico durante um evento público sabe o nível do malabarismo. Nesse sentido, por que não fazer xixi em pé? Realmenta ajuda a vida e evita o contato com as superfícies mais imundas que nos deparamos por aí.

Porém, nem todo mundo pensa assim. Caroline Mathias, que também faz uso do condutor, me contou que muita gente confunde o propósito de usá-lo.

"As pessoas acham engraçado e estranho. A minha mãe mesmo acha ridículo. Elas acham que a gente quer tomar a posição masculina por fazer xixi em pé. Mas não é isso. É uma questão de higiene e praticidade."

Para Carlos Eduardo Dineten, diretor de marketing da empresa, o desafio da empresa é mesmo o de educar o seu consumidor nesse sentido.

"Quando a gente lançou o coletor menstural, há quase 3 anos, foi o mesmo sintoma. A gente sabia que existia a necessidade por parte das mulheres, mas houve uma reação de estranhamento. Poucas pessoas conheciam a utilidade do coletor menstrual. Tivemos que fazer um trabalho de se fazer conhecer o produto. E com o Uriny é a mesma coisa. As mulheres sentem a necessidade, acham incrível, mas elas não conhecem, não testam. O coletor sofreu um reação mais forte, até porque o tabu é muito maior quando falamos da menstruação do que quando falamos em fazer xixi", argumenta.

Resumão da história: a teoria de um produto como esse é realmente uma ótima ideia - reutilizável, não agride o meio ambiente e salva nas horas do "aperto.

Mas eu preciso melhorar a minha prática. Para mim, ainda é desconfortável. Seria incrível não precisar usar nenhum banheiro anti-higiênico. Nesse sentido, é libertador ter a possibilidade de fazer xixi em pé. Mas preciso treinar (risos) um pouquinho mais e conciliar melhor a higienização do condutor (como levar o objeto + lencinhos em uma bolsa pequena quando vou a um show, por exemplo?).

E você, usaria?