Opinião

Como fazer um título de monografia

Me lembrei de um texto do historiador americano Robert Darnton. Chama-se 'Publicação: Uma Estratégia de Sobrevivência para Autores Acadêmicos' - o nome já é uma gozação com a mania acadêmica de fazer títulos com aliterações e dois pontos.

Essa tirinha antiga de Calvin sempre me fez lembrar de um texto, já antigo também, do historiador americano Robert Darnton. Chama-se Publicação: Uma Estratégia de Sobrevivência para Autores Acadêmicos, que está no livro O Beijo de Lamourette (Companhia das Letras, 400 págs., R$ 31 impresso, R$ 26 e-book). O nome do texto já é uma gozação com a mania acadêmica de fazer títulos com aliterações e dois pontos.

Calvin chega perto dessa fórmula pernóstica.

Darnton, ex-membro do conselho da editora universitária de Princeton, se diverte apontando o predomínio do "P" nos títulos e a passagem da aliteração do título principal para o subtítulo. Coisa que chamou de "Princípio Pedro Pipa". Assim:

Perigo, Pestilência e Perfídia: A Formação da Lucknow Colonial, 1856-1877

Paxás, Peregrinos e Grupos Provinciais: O Domínio Otomano em Damasco, 1807-1858

Pintura e Punição: A Arte a Serviço os Processos Penais Durante a Renascença Florentina

Trocando as letras ("M", "L" e "R" também são populares), mas sem nunca abandonar os dois pontos, outras estratégias são bastante comuns. Como ir do grande (ou grandiloquente) para o pequeno -- mais ou menos o que Calvin faz na sua "monografia" e como é demonstrado no que se segue, maravilhoso:

Bebida e Bagunça: A Reforma Pela Sobriedade em Cincinatti desde o Ressurgimento Washingtoniano até a ATCM (Associação da Temperança Cristã da Mulher).

E há sempre o samba-do-crioulo-doido à maneira Calvin, só para fazer cortina de fumaça:

Marxismo e Dominação: Uma Teoria Psicanalítica Feminista Neo-Hegeliana das Liberações Sexuais, Políticas e Tecnológicas

Duvidam? Façam uma pequena pesquisa nos livros de ciências humanas em circulação, especialmente os de acadêmicos. Alguns, naturalmente, são ótimos e claríssimos - eu poderia citar vários. Mas poderia também mencionar outros tantos que não ficam nada a dever à retórica de Calvin.