OPINIÃO
20/03/2015 17:09 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:36 -02

O 'Estatuto da Família' e sugestões de leis retiradas da Bíblia

carlosoliveirareis/Flickr
[ en ] <a href="http://en.wikipedia.org/wiki/Brasilia">Brasilia</a>, <a href="http://en.wikipedia.org/wiki/Brazilian_Federal_District">DF</a>, Brazil | [ fr ] <a href="http://fr.wikipedia.org/wiki/Brasilia">Brasilia</a>, <a href="http://fr.wikipedia.org/wiki/District_f%c3%a9d%c3%a9ral_(Br%c3%a9sil)">DF</a>, Brésil | [ pt ] <a href="http://pt.wikipedia.org/wiki/Bras%c3%adlia">Brasília</a>, <a href="http://pt.wikipedia.org/wiki/Distrito_Federal_(Brasil)">DF</a>, Brasil [ en ] <a href="http://en.wikipedia.org/wiki/Brasilia">Brasilia</a>, <a href="http://en.wikipedia.org/wiki/Brazilian_Federal_District">DF</a>, Brazil | [ fr ] <a href="http://fr.wikipedia.org/wiki/Brasilia">Brasilia</a>, <a href="http://fr.wikipedia.org/wiki/District_f%c3%a9d%c3%a9ral_(Br%c3%a9sil)">DF</a>, Brésil | [ pt ] <a href="http://pt.wikipedia.org/wiki/Bras%c3%adlia">Brasília</a>, <a href="http://pt.wikipedia.org/wiki/Distrito_Federal_(Brasil)">DF</a>, Brasil IMG_8616.JPG

Escrevo esse texto endereçado ao Deputado Federal Anderson Ferreira (PR-PE).

O referido cidadão é a mente brilhante por detrás do projeto de lei No 6583/13, auto-denominado "Estatuto da Família".

O documento redigido pelo genial deputado afirma em seu artigo segundo que:

"Para os fins desta Lei, define-se entidade familiar como o núcleo social formado a partir da união entre um homem e uma mulher, por meio de casamento ou união estável, ou ainda por comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes."

A ênfase em "homem e uma mulher" consta do documento original

Anderson Ferreira orgulha-se de sua fé. Na sua página no Facebook, 9 de cada 10 postagens estão relacionadas com Deus, bíblia, evangelho, orações.

Sendo a Bíblia seu norte moral, o excelentíssimo deputado quer usá-la como métrica em seu trabalho legislativo. Justo, correto, razoável.

Eu, porém, acreditava que a mensagem central do cristianismo era o "Amai-vos uns aos outros". Mas parece que não. A bancada da Bíblia no Congresso destaca-se nunca pelo discurso de amor, mas sim pelo de ódio. Nunca pela tolerância, mas pela intolerância.

Ao dar tamanha ênfase a necessidade de união de um homem com um mulher, o nobre deputado certamente tem em mente aquelas famosas passagens da Bíblia que pregam contra os homossexuais:

Não te deitarás com um homem, como se fosse mulher: isso é uma abominação (Levítico 18:22)

Se um homem dormir com outro homem, como se fosse mulher, ambos cometerão uma coisa abominável. Serão punidos de morte e levarão a sua culpa. (Levítico 20:13)

Longe de mim ser um especialista nas escrituras. Mas já que o nobre deputado cuida tanto de segui-la, aqui vão algumas sugestões de leis tiradas diretamente da Bíblia que não são contempladas no seu "Estatuto da Família".

Por exemplo, faz-se mister que o legislador imponha a pena de morte para os homens não circuncidados. Algo bastante razoável, afinal, trata-se de um pedido explícito do próprio Deus.

O varão incircunciso, do qual não se tenha cortado a carne do prepúcio, será exterminado de seu povo por ter violado minha aliança." (Gênesis 17:14)

E por falar em morte, como esquecer as numerosos menções de Deus ao apedrejamento;

Qualquer homem ou mulher que evocar os espíritos ou fizer adivinhações, será morto. Serão apedrejados, e levarão sua culpa". (Levítico 20:27)

Quem blasfemar o nome do Senhor será punido de morte: toda a assembléia o apedrejará. Quer seja ele estrangeiro ou natural, se blasfemar contra o santo nome, será punido de morte." (Levítico, 24:16)

Se, porém, o fato for verídico e não se tiverem comprovado as marcas de virgindade da jovem, esta será conduzida ao limiar da casa paterna, e os habitantes de sua cidade a apedrejarão até que morra, porque cometeu uma infâmia em Israel, prostituindo-se na casa de seu pai. Assim, tirarás o mal do meio de ti. (Deuteronômio, 23:20-21)

Se um homem cometer adultério com uma mulher casada, com a mulher de seu próximo, o homem e a mulher adúltera serão punidos de morte. (Levítico, 20:10)

Temos regras claras também para o enforcamento:

Quando um homem tiver cometido um crime que deve ser punido com a morte, e for executado por enforcamento numa árvore. o seu cadáver não poderá ficar ali durante a noite, mas tu o sepultarás no mesmo dia; pois aquele que é pendurado é um objeto de maldição divina. Assim, não contaminarás a terra que o Senhor, teu Deus, te dá por herança. (Deuteronômio, 21:22-23)

E a pena de morte vale também para os animais. É importante aprovar a lei do apedrejamento dos bois (e de seus donos, quando relapsos). Sem isso os pilares morais da sociedade podem desmoronar, afinal, está nas escrituras:

Se um boi ferir mortalmente um homem ou uma mulher com as pontas dos chifres, será apedrejado e não se comerá a sua carne; mas o dono do boi não será punido. Porém, se o boi era já acostumado a dar chifradas, e o dono, tendo sido avisado, não o vigiou, o boi será apedrejado, se matar um homem ou uma mulher, e seu dono também morrerá. (Êxodo 21:28-29)

É preciso também haver uma lei que obrigue pessoas com gonorreia e lepra a serem exiladas do País. Afinal:

O Senhor disse a Moisés: "Ordena aos israelitas que expulsem do acampamento todo leproso, todo homem atacado de gonorréia, todo o que está imundo por ter tocado num cadáver (Números 5:1-2)

A estética da família também merece atenção, pois está lá nas escrituras

Não cortareis o cabelo em redondo, nem rapareis a barba pelos lados. (Levítico 19:27)

É preciso proibir imediatamente a criação, o abate e o consumo de porcos e frutos do mar, por exemplo, já que Deus exclui explicitamente essas coisas do nosso menu, como está no capítulo 11 de Levítico.

Essas são apenas umas poucas sugestões para o nobre legislador. Siga a Bíblia em sua integridade, por que se apegar apenas às passagens que tratam do homossexualismo?

O povo clama pela imediata implementação da República Federativa Teocrática do Brasil.

PS - É evidente que este é um texto sarcástico. Tenho profundo respeito pelo cristianismo e pela bíblia. O objetivo aqui foi mostrar que a homofobia é derivada de uma leitura seletiva das escrituras. Assim como nenhum cristão deve apedrejar um adúltero, não há motivo para continuar a entender o amor entre iguais como uma "abominação".

Abominável mesmo é que um deputado se preste a esse papel ridículo.