OPINIÃO
19/12/2014 16:22 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:03 -02

A revolução será patrocinada

Pensando no bem de nossas estatais, que atravessam esse mar revolto de denúncias vazias e sabotagens dos inimigos do povo, deixo aqui minha oferta. Por um módico patrocínio de 1,3 milhões eu me comprometo a escrever o dobro do que meus concorrentes e triplico o uso de adjetivos grandiosos.

venimo via Getty Images

Tenho quase todos os defeitos que um homem pode ter, mas não o de ser arrogante. Acho esse um vício pernóstico.

Pra mim é muito fácil abraçar minha pequenez. Ensino, entre outras coisas, História do Pensamento Econômico. Por isso meu material de trabalho é composto por textos de gente como Adam Smith, Karl Marx e John M. Keynes. Gênios a partir de qualquer definição do termo, eruditos, geniais escritores e polemistas. Gigantes. Nas horas de lazer: Borges, Doistoievsky, Kafka, Graciliano... Ainda que surja uma nova era glacial, serão lidos, lembrados e admirados. Eu, por outro lado, mal sei escrever uma lista de compras de supermercado. Me sinto um protozoário no sub-reino dos incapazes quando os leio.

Mas há vezes em que topamos com toupeiras (veja o nível vergonhoso de minhas aliterações). Aí é quase inevitável sentir-se bem, uma pontinha de orgulho pela inteligência acumulada a duras penas. "É. Decididamente há gente pior do que eu" diz o ego para o superego diante do id. É bom ler textos ruins. Parece que Graciliano - o maior escritor brasileiro segundo eu mesmo - dizia coisa do gênero: é bom ler textos chinfrins de quando em vez. É isso que estimula o trabalho. Lendo-se os gênios bate um desânimo danado.

Pois bem. Outro dia vi na Folha de S. Paulo duas notícias. Uma que dizia que sites pró-governo haviam recebido um bom bocado do dinheirinho do contribuinte brasileiro. PHA recebera 2,6 milhões. Bem-aventurados os simpatizantes, pois deles é também o reino dos céus. Em outra página, uma notícia sobre um movimento entre petistas estimulando a compra de ações da Petrobras. Além disso, havia o apelo para que o governo aproveitasse o momento de baixa para "reestatizar" a empresa.

Aí um amigo me manda um tweet (é assim que se diz?) de uma figura chamada "Stanley Burburinho" que ao que consta é famoso entre os devotos do Santo PT dos últimos dias. Reproduzo aqui o texto: "Alguém acha que os donos dos veículos da velha mídia NÃO estão se enchendo de ações da Petrobras?". Sou fã de teorias da conspiração. Já imagino os capitalistas gordos, de fraque e cartola, sugando o sangue que escorre das veias abertas da violada América Latina. Ao fundo um índio em prantos abraçado ao subcomandante Marcos. Um belo pôster em realismo-socialista.

E nossos revolucionários de 140 caracteres já manjam da regra número um do mercado de papéis: compre na baixa e venda na alta. Podem se candidatar a gerir um desses gigantescos fundos de pensão.

E, como dizia a propaganda do 011-1406, "ainda tem mais!". Vi também um texto de PHA intitulado "Petrobras: oh, que delícia de crise!". Recomendo a leitura. Faz bem pro ego.

As aspas agora são PHA em sua epístola aos adoradores de Dirceu. "A Petrobras não exporta petróleo. Portanto, pouco se lhe dá se os preços do barril desabaram no mercado internacional". Errado. Acho que ler a definição de commoditie na Wikipedia é suficiente para entender o problema desse raciocínio. "A Petrobras cada vez mais se utiliza do petróleo do pré-sal... É só chupar o óleo lá de dentro, custe US$ 1.000, o barril, ou U$ 10 ...".

Muito errado. Alguém aí já ouviu falar em viabilidade econômica? "Com a estratégica decisão - da Dilma e da Graça - de garantir 60% de conteúdo nacional, as compras da Petrobras serão pouco afetadas pelo aumento do custo de importação, com a desvalorização do Real. Porque os custos serão os internos, em Real". Essa parte merece um epíteto para além do 'errado', 'equivocado' e sinônimos. Chamemos Guimarães Rosa para inventar uma palavra para esse caso. "Ah, mas a queda do preço do petróleo vai desorganizar o mundo. Sim! E muito provavelmente o Brasil dela se beneficiará. Porque os países que consomem petróleo importado vão gastar menos com petróleo e comprar mais - comprar mais soja, carne, café e produtos manufaturados, como os aviões da Embraer". Como não admirar otimismo dos crentes?

"Last but not least": "Portanto, qualquer tentativa de transformar a crise russa numa crise brasileira não passa de fraude intelectual".

Tá 'serto' (sic). Esqueçam o problema da desaceleração da economia global, esqueçam a antecipação da subida dos juros americanos após o fim da festa da impressão de dólares. Esqueçam o problema de contágio. Tudo isso é morto como Inês.

Só espero que por conta dessas críticas construtivas PHA não me presenteie com um charge de minha pessoa com o dedo enfiado no nariz, com a bunda de fora, transformado em rato, em capacho do neoliberalismo ou qualquer tipo de gentileza que ele oferece aos seus desafetos. Afinal, eu sou um grande fã dele desde os tempos em que ele fazia resistência à mídia golpista nas suas aparições subversivas nos jornais da Rede Globo. Agora então sob o auspício do Bispo Macedo, a estrela do norte do socialismo de gravatinha borboleta está ao alcance das mãos. Venceremos, camarada, venceremos!

E pensando no bem de nossas estatais, que atravessam esse mar revolto de denúncias vazias e sabotagens dos inimigos do povo, deixo aqui minha oferta. Por um módico patrocínio de 1,3 milhões eu me comprometo a escrever o dobro do que meus concorrentes e triplico o uso de adjetivos grandiosos. Prometo reduzir os inimigos do regime a pó. Prometo amar a Lula sobre todas as coisas. Não pecarei em ação ou pensamento contra o partido. Abdicarei ao vício da crítica. Serei fiel e leal.

Aguardo retorno.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.