OPINIÃO
06/06/2018 16:42 -03 | Atualizado 06/06/2018 16:47 -03

Vamos discutir o Centro de São Paulo

Quem são e o que pensam os agentes de transformação da cena contemporânea da metrópole?

Tokyo é a nova balada em prédio histórico no centro de São Paulo.
Divulgação/Clayton Melo/A Vida no Centro
Tokyo é a nova balada em prédio histórico no centro de São Paulo.

Quem são e o que pensam algumas das pessoas que estão transformando o Centro de São Paulo?

Já reparou como o Centro de São Paulo está diferente? Não? Então você precisa aparecer por aqui. A região vive uma fase de efervescência ligada à economia criativa, com novos bares, restaurantes, espaços culturais, festas e a presença cada vez maior de um público adulto jovem — que nos últimos anos também passou a engrossar as estatísticas de moradores na região.

Só para citar alguns exemplos: nos últimos meses abriram na região o Farol Santander; o Sesc 24 de Maio; o Centro de Referência e Economia Criativa do Sebrae; o No Arouche, na Rua do Arouche, e, há poucas semanas, o Tokyo, projeto que transformou um prédio histórico da década de 1940 em um complexo cultural, com karaokê, restaurante e pista de dança.

Sem contar os inúmeros restaurantes no circuito Vila Buarque-Copan-República, sem dúvida o point mais vibrante no circuito de restaurantes badalados, porém não caríssimos na cidade.

E ainda tem os pontos já tradicionais, como a Praça Roosevelt, o point da boêmia no Centro de São Paulo, lugar de todas as tribos e de todos os gêneros, e o ícone maior, o Copan, o gigante de concreto que domina a paisagem da região central e que virou objeto de desejo dos descolados.

Sim, o Centro tem inúmeros problemas para resolver, que coexistem com este novo momento. Que tal se discutirmos todas essas questões? Que tal juntar forças, conhecer quem são e o que pensam algumas dessas pessoas que estão transformando o Centro de São Paulo? Pois o ciclo de debates Diálogos A Vida no Centro surge exatamente para isso.

A primeira edição do evento será no dia 7 de junho, das 15h30 às 19h, na Avenida Duque de Caxias, 433. Depois das discussões, um happy hour para molhar a garganta e trocar ideias. O evento é gratuito e aberto ao público, mas é preciso fazer inscrição antecipada neste link.

Além dos debates com empreendedores e agentes culturais, o Diálogos A Vida no Centro terá ainda a exposição de fotos de Instagram A Pé no Centro, com curadoria do CalçadaSP, iniciativa de ativismo urbano com olhar artístico liderada pelos publicitários Wans Spiess e Tony Nyenhuis. O artista plástico Ciro Schu, um dos principais grafiteiros de São Paulo, fará uma obra ao vivo durante o evento, no terraço do prédio. Terraço, aliás, que dá vista para vários ícones da arquitetura paulistana, como o Edifício Itália, o Copan e o Farol Santander, além da Sala São Paulo.

Entre os debatedores confirmados estão representantes de instituições e empresas como Porto Seguro, Sebrae, Sesc 24 de Maio, Uliving Brasil, MMC Investimentos, Cia de Teatro Os Satyros e Instituto Pólis, além de Eduardo Odloak, prefeito regional da Sé.

Gostou da ideia? Então faça sua inscrição e junte-se ao movimento.

*Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o HuffPost oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.