ENTRETENIMENTO
09/01/2019 13:43 -02 | Atualizado 09/01/2019 15:20 -02

Adeus, Padre Quevedo: Relembre o dia em que o religioso desafiou 'Lúcifer'

"Estou pedindo quixotescamente de joelhos a Lúcifer que, com seus poderes, me dobre este dedo."

Reprodução/Globo
Radicado no Brasil, padre jesuíta espanhol era fluente em latim, grego, hebraico, inglês, francês e italiano.

Oscar Gonzalez Quevedo Bruzan, o Padre Quevedo, morreu na madrugada desta quarta-feira (9) em Belo Horizonte, nas Minas Gerais, em decorrência de complicações cardíacas. Ele tinha 88 anos.

De acordo com o site G1, o jesuíta espanhol radicado no Brasil morava desde 2012 na Casa Irmão Luciano Brandão, no Bairro Planalto, na capital mineira, onde residem padres idosos e com problemas de saúde.

Autoridade nos campos da parapsicologia e da psicologia, Padre Quevedo foi professor universitário e escreveu dezenas de livros. Ele ganhou projeção nacional no início do ano 2000, quando estrelou no programa Fantástico um quadro em que desvendava fenômenos ditos sobrenaturais e desmascarava charlatões. "Isso non ecziste" tornou-se um bordão do religioso.

De acordo o site Memória Globo, a ideia do quadro chamado Caçador de Enigmas surgiu em 1999, inspirada no sucesso de audiência do quadro do ilusionista Mister M. O padre aceitou o convite após negociações. Uma das condições era a de que ele não interpretaria um personagem. Quevedo afirmava que sua missão era "desmistificar essa mentalidade mágica que envolve os fenômenos parapsicológicos".

Em um dos episódios célebres do quadro, que foi ao ar entre janeiro e maio de 2000, o religioso confrontou Marcos Fabian, um homem que residia no Rio de Janeiro e que afirmava encarnar Lúcifer. Provocador, Padre Quevedo tentou sem sucesso engatar uma conversa em aramaico (dialeto do hebraico falado no tempo de Jesus Cristo) com o sujeito, pediu que seu dedo fosse entortado e também que fosse morto pelos poderes do demônio ali mesmo.

O resultado desse embate você recorda no player abaixo:

O inusitado encontro entre Padre Quevedo e "Lúcifer", narrado pela voz suntuosa de Cid Moreira, ficou ainda mais famoso depois que foi transformado em paródia pelo humorístico Hermes e Renato.

Entre outros casos exibidos no Fantástico, Padre Quevedo investigou uma casa mal-assombrada e uma dupla de gêmeas que diziam sentir a mesma coisa. Ele também interpretou gravações que diziam ser do além e comentou casos de premonição relacionados à queda do avião da TAM em São Paulo, em 1996, que matou 99 pessoas.