MULHERES
07/01/2019 03:16 -02 | Atualizado 07/01/2019 07:05 -02

Globo de Ouro: Discursos feministas são o destaque da premiação

Poderosas palavras de Regina King e Glenn Close marcaram a 76ª edição do Globo de Ouro. Sandra Oh celebrou a diversidade.

Kevork Djansezian/NBC via Getty Images
Regina King prometeu que suas produções terão 50% de profissionais mulheres e desafiou sociedade a fazer o mesmo.

A noite da 76ª edição do Globo de Ourofoi, definitivamente, das mulheres. A premiação, que aconteceu na noite deste domingo (6) foi marcado pelos poderosos discursos feministas de Regina King e Glenn Close.

Logo após receber o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante de Drama por Se a Rua Beale Falasse, Regina King surpreendeu a todos com um desafio.

"A razão pela qual fazemos isso é porque entendemos que nossos microfones são grandes e estamos falando por todas. E eu quero dizer que vou usar a minha plataforma agora mesmo para dizer que nos próximos dois anos, tudo que eu produzir será 50% feito por e com mulheres", disse a atriz, que acrescentou: "E eu desafio qualquer um que esteja em uma posição de poder, não apenas em nossa indústria, mas em todos os setores. Eu desafio vocês a desafiar a si mesmos e fazer o mesmo."

Muito emocionada ao receber sue estatueta de Melhor Atriz de Drama, a veterana Glenn Close homenageou sua mãe e fez um desabafo: "Penso na minha mãe, que passou sua vida toda à sombra de meu pai. Já com 80 anos ela me disse que sentia não ter alcançado nada na vida. Isso é tão errado. O que se espera de nós é que tenhamos filhos e maridos. Isso se tivermos sorte. Precisamos buscar nossa satisfação pessoal. Nós temos que seguir nossos sonhos. Nós temos que dizer: 'eu posso fazer isso'. "

Sandra Oh celebra a diversidade

Invision

Primeira artista de origem asiática a apresentar o Globo de Ouro, Sandra Oh, além disso, saiu da festa com o prêmio de Melhor Atriz de Série de Drama, por Killing Eve.

Porém, o que mais marcou sua participação nesta edição da premiação foi seu discurso na abertura do evento em que ela, emocionada, celebrou a diversidade: "Eu disse sim ao medo de estar neste palco hoje à noite porque queria estar aqui para olhar para este público e testemunhar esse momento de mudança. Não estou enganando a mim mesma porque talvez no ano que vem seja diferente; provavelmente será. Mas agora, este momento é real."