NOTÍCIAS
04/01/2019 13:17 -02 | Atualizado 04/01/2019 13:17 -02

Moro autoriza envio de Força Nacional para conter violência no Ceará

Em primeira grande ação à frente do Ministério da Justiça, ex-juiz atendeu ao pedido do governador do Estado.

Marcelo Camargo/ Agência Brasil
Moro determinou o envio de 300 homens e 30 viaturas da Força Nacional ao Ceará.

Em sua primeira grande ação como ministro da Justiça, Sérgio Moro autorizou nesta sexta-feira (4) a ação da Força Nacional de Segurança Pública para apoiar a polícia do Ceará no combate à onda de ataques que já atingiu pelo menos 15 cidades, incluindo Fortaleza, nos últimos dois dias.

Em portaria publicada na manhã desta sexta, após uma reunião na noite anterior para discutir o tema, Moro determinou o envio de 300 homens e 30 viaturas ao estado. O prazo de atuação da Força Nacional é de 30 dias, mas pode ser prorrogado.

A decisão veio depois de o governador do Ceará. Camilo Santana, pedir a ajuda da Força Nacional e de tropas militares. O objetivo é que o grupo ajude as forças de segurança pública local, a Polícia Federal (PF), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Na portaria, Moro também determina que a PF e a PRF intensifiquem as ações de prevenção e repressão ao crime organizado e que o Depen preste todo o apoio necessário para as ações de segurança pública.

"A decisão foi tomada após os episódios de violência registrados e à dificuldade das forças locais combaterem sozinhas o crime organizado", diz Moro no comunicado. "Também foram consideradas a gravidade dos fatos, a necessidade de manutenção da segurança pública e o dever das forças policiais federais e estaduais de, por ação integrada, proteger a população civil e o patrimônio público e privado de novos incidentes."

Nos últimos dois dias, criminosos explodiram uma bomba em um viaduto em Caucaia, região metropolitana de Fortaleza, comprometendo sua estrutura, e incendiaram dois ônibus e uma van. Na madrugada desta sexta, voltaram a atacar ônibus, agências bancárias e prédios públicos de Fortaleza e região metropolitana.

* Com informações da Agência Brasil e da Reuters