NOTÍCIAS
01/01/2019 06:00 -02

Posse de Jair Bolsonaro terá maior esquema de segurança já montado em Brasília

Palácio do Planalto estima que entre 250 mil a 500 mil pessoas acompanhem o rito na Esplanada dos Ministérios.

ASSOCIATED PRESS
Irão trabalhar mais de 3,2 mil policiais militares, civis, federais e bombeiros, além de integrantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica.

Eleito com 57 milhões de votos, Jair Bolsonaro toma posse nesta terça-feira (1º) como o 42º presidente do Brasil. As solenidades começam às 14h45 e a estimativa do Palácio do Planalto é a de que entre 250 mil a 500 mil pessoas acompanhem o rito na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

O trânsito será interrompido em todas as vias ao redor do local. Por determinação do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), o único acesso será realizado pela Rodoviária do Plano Piloto, a dois quilômetros do Congresso Nacional.

Os vendedores ambulantes estarão proibidos de atuar no local, assim como não poderão circular bicicletas e skates. Quem for ver a posse de perto também não poderá levar carrinhos de bebê, guarda-chuvas, garrafas, fogos de artifício, apontadores laser, animais, máscaras, objetos inflamáveis ou cortantes, armas de fogo e drones. Tampouco serão permitidas bolsas e mochilas.

Desde o último sábado (29), a Esplanada está fechada e no último domingo (30) foi feito um ensaio geral com figurantes.

No ensaio, não foi usado o tradicional Rolls-Royce conversível, fabricado em 1952. O ministro Sérgio Etchegoyen, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), afirmou a jornalistas que, por razões de segurança, a decisão sobre o uso do carro aberto será tomada somente nesta terça-feira.

De acordo com o futuro ministro do GSI, general Augusto Heleno, a palavra final caberá ao presidente eleito, que foi alvo de um ataque a faca durante a campanha eleitoral. "O critério é: Jair Messias Bolsonaro", respondeu a jornalistas.

A operação está sendo considerada pela Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal como o maior esquema de segurança já montado para um evento do tipo em Brasília. Irão trabalhar mais de 3,2 mil policiais militares, civis, federais e bombeiros, além de integrantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica.

Dois mísseis antiaéreos guiados a laser, capazes de abater aviões a até 7 km de distância, serão usados e está proibida a circulação de toda aeronave que não faça parte do esquema de segurança em um raio de 7,4 quilômetros. Já os aviões que entrarem no espaço aéreo em um raio de 46,3 quilômetros, o que inclui o Aeroporto Internacional de Brasília, precisam de autorização expressa da FAB (Força Aérea Brasileira).

Também será a primeira vez que a parte de baixo da Esplanada dos Ministérios será cercada por concertina, um arame farpado com lâminas.

Confira as etapas da posse presidencial

14h: Jair Bolsonaro e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, deixarão a residência oficial da Granja do Torto, em direção à Catedral Metropolitana de Brasília, no início da Esplanada.

14h45: Na Catedral, Bolsonaro se encontra com o vice-presidente, Hamilton Mourão, e a esposa, Paula Mourão, e inicia o cortejo em dois carros, em direção ao Congresso Nacional.

15h: No Congresso, os dois casais serão conduzidos ao encontro dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e caminharão ao lado do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Dias Toffoli, da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e de líderes políticos aliados até o plenário da Câmara dos Deputados.

Na cerimônia presidida por Eunício Oliveira, o presidente fará o juramento e a assinatura do termo de posse. No rito, Bolsonaro terá de jurar cumprir a Constituição Federal.

A solenidade deve durar 45 minutos e estarão presentes atuais e futuros parlamentares e convidados do presidente eleito, em uma lista que não foi divulgada publicamente. Partidos de oposição como PT e PSol decidiram não participar do ato.

Nessa etapa, o capitão da reserva fará seu primeiro discurso e descerá a rampa do Congresso Nacional para uma revista das tropas das Forças Armadas, quando será homenageado com tiros de canhão.

16h30: Após desfile do cortejo presidencial do Congresso para o Palácio do Planalto, Bolsonaro, já formalmente presidente, chega à sede do governo federal. Ele receberá a faixa presidencial do presidente Michel Temer e em seguida fará um pronunciamento oficial.

Depois de sua fala, o novo presidente receberá os cumprimentos dos chefes de governo e de Estado. Segundo o Ministério de Relações Exteriores, 11 nomes confirmaram presença.

Os líderes de Venezuela, Cuba e Nicarágua não foram convidados à cerimônia - na verdade, os dois primeiros chegaram a ser "desconvidados" pelo Itamaraty após ordem do futuro ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que chamou os três governos de ditatoriais.

17h30: Cerimônia de nomeação dos ministros no Salão Nobre do Palácio do Planalto. Em seguida, é feita a fotografia oficial no Salão Oeste do Palácio do Planalto e às 18h45 Bolsonaro parte para o Palácio Itamaraty.

19h: Recepção no Itamaraty, sede da diplomacia brasileira, para os chefes de Estado. A previsão é que o coquetel, última etapa das solenidades, dure até as 21h.